Mobilidade Urbana

São Bernardo quer teleférico integrado com sistema de transporte da região

Os teleféricos, muito conhecidos em parques ou pontos turísticos, podem ser usados também como transporte. Pelo menos algumas cidades brasileiras pensam desta maneira. Primeiro foi no Rio de Janeiro na favela do alemão com a operação e manutenção da SuperVia. Agora a cidade de São Bernardo do Campo também pretender implementar o meio. Está em fase inicial de elaboração o projeto funcional para a instalação do teleférico

A prefeitura da cidade quer criar um sistema de integração tarifária entre ônibus municipais, trólebus, além do Monotrilho da Linha 18 – Bronze, previsto para chegar em 2015 ao município com o teleférico. As obras estão previstas para a meta de 2014:

“Estamos estudando ainda os pontos onde serão instaladas estações, os custos e eficiência”, diz o secretário de Transportes e Vias Públicas, Oscar Silveira Campos

A ideia inicial é estabelecer ligação entre três corredores da cidade – Rua Tiradentes, Estrada do Montanhão e Avenida Dom Pedro de Alcântara – com as comunidades estabelecidas nos pontos mais altos. “Vamos fazer ligação entre os morros e desses locais com os corredores e estudar o viário nesses vales”, comenta Campos.

O processo de composição do projeto inclui viagens já realizadas para estudo da tecnologia in loco em países como Colômbia e Venezuela, que já contam com o meio de transporte há cerca de cinco anos. Em dezembro, o prefeito Luiz Marinho e sua equipe embarcam para o Rio de Janeiro para conhecer a metodologia utilizada no morro do Alemão. “Essas avaliações servem para viabilizar o projeto que colocaremos na rua e permitir que haja concorrência entre as empresas que prestam o serviço. Com isso, teremos o melhor projeto com menor custo”, destaca.

Da mesma forma que acontece nos países visitados, a idéia é de que o sistema a ser implantado na cidade seja o de cabines com capacidade para até dez passageiros, sendo oito sentados e dois em pé – todos com acessibilidade. No exterior, o equipamento atende comunidades instaladas a cerca de 400 metros de altitude e transporta até 6.000 pessoas por hora em velocidade de 18 km/h.

Por Renato lobo

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios