Foto: Samuel Tuzi
TAV

Bombardier considera trem bala um bom negócio

Próximo do lançamento do primeiro edital do trem-bala, o presidente da fabricante canadense Bombardier, André Guyvarch, declarou ao jornal Valor que o empreendimento é um bom negócio.

Para ele, a demanda será alta visto que os aeroportos que ligam São Paulo e Rio de Janeiro estão saturados porém os seis primeiros anos devem ser os mais difíceis pois o viajante terá que “abandonar” o avião e partir para o TAV (trem de alta velocidade), e isto leva tempo.

A companhia ainda se vê em um situação complicada caso decida entrar em um consórcio, será concorrente de vários clientes de operação ferroviária que tem pelo mundo. Alstom e outras companhias vivem o mesmo dilema.

Guyvarch conta que a Bombardier já teve conversas sobre o TAV com as principais empresas de concessão no país porém nada foi acertado.

Enquanto o edital do TAV não sai, a Bombardier está lucrando no país com a fabricação de monotrilhos que irão operar na linha 15 – Prata e devem começar a circular no segundo semestre do próximo ano.

Por Caio Lobo

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios