Metrô SP

Metrô SP suspende contrato de portas nas plataformas

Foto: Daniel Aveiro

Todo mundo que passa pela Estação Vila Matilde, da linha 3 – Vermelha, nota que existem portas plataformas. No entanto, elas ainda estão fora de funcionamento. Era previsto inicialmente para serem entregues em junho do ano passado. Devido ao atraso, o contrato com a empresa Trends Engenharia e Infraestrutura, para fornecimento das portas em 12 estações do trecho foi suspenso.


De acordo com a Companhia do Metrô, apesar das portas já estarem nas plataformas da Vila Matilde, a implantação não foi concluída “devido ao não cumprimento das atividades por parte da contratada”.


Além de Vila Matilde, as estações Marechal Deodoro, República, Anhangabaú, Sé, Brás, Bresser-Mooca, Belém, Tatuapé, Carrão, Penha e Artur Alvim também devem ter as estruturas que servem, além de controlar melhor o fluxo de entrada e saídas dos usuários, já que inibe que certos maus educados empurrem os outros, ajudam na segurança, evitando que algum objeto ou alguém caia na via.


O valor total do contrato para as 12 estações é de R$ 71.447.002,16 e já foram pagos R$ 11.806.192,53, referentes a projetos de todas as estações e à instalação em Vila Matilde, disse o Metrô em nota. O fornecedor das portas, o consórcio Trends Poscon, foi multado em 9,99% do valor do contrato –pouco mais de R$ 7 milhões


Não existe um novo prazo, nem para que as portas da estação Vila Matilde comecem a funcionar, nem para instalação nas demais paradas.



Renato Lobo é Técnico em Transporte Sobre Pneus e Transito Urbano.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios