Mobilidade Urbana

Aumenta reclamação de música alta nos trens

Ilustração de Jonny Jorge

Nossa campanha “Doe um fone de ouvido para um funkeiro, e faça um ônibus feliz” chegou a mídia de grande circulação. Veja a reportagem do jornal Diário de São Paulo, muito bem feita por Jussara Soares que gentilmente entrou em contato com o Blog para colher meu depoimento sobre o assunto:


Tão proibido quanto fumar dentro de ônibus, metrô e trens da CPTM, o uso de aparelho sonoro também é vedado por lei e por normas de segurança. A diferença é que dificilmente você verá alguém acendendo um cigarro dentro de um transporte coletivo. Por outro lado, ver uma pessoa ouvindo música alta sem o fone de ouvido está se tornando uma cena comum, capaz de irritar até o mais pacato dos passageiros. 


A poluição sonora nos trens já corresponde a 25% das queixas dos usuários à CPTM. Apenas no primeiro semestre deste ano, a companhia recebeu 2.001 reclamações por causa da trilha sonora imposta pelos “DJs” dos trens. A média é de 333 manifestações por mês, um aumento de 83% em relação a 2010, quando foram feitas 2.183 queixas em todo o ano, média de 181 por mês. Em 2009, foram 1.178, com média mensal de 98 registros. 


Protesto na rede / Já no metrô, a música alta gerou apenas oito reclamações neste ano. Em 2010, também foram oito e em 2009, dez. Por sua vez, a SPTrans registrou no primeiro semestre deste ano 36 queixas de passageiros dos ônibus da capital. No ano passado, foram 83.


Tal número é baixo se comparado às manifestações nas redes sociais. No Facebook, Orkut e Twitter há até campanha para que os “DJs” usem o fone. No Orkut, a comunidade “Doe Um Fone de Ouvido Pra Funkeiro e Faça um Ônibus Feliz”, criada por um paulistano, tem 5,2 mil pessoas. No Facebook, os usuários publicam uma imagem da campanha “Operação Fone de Ouvido – Por um Ônibus Silencioso”. E, no Twitter, vociferam contra o desrespeito em tempo real graças aos celulares com internet. 


A Lei 6.681, que proíbe o uso de aparelhos sonoros ou musicais no interior dos transportes coletivos na capital, é de 21 de junho de 1965, mas ela nunca foi tão desrespeitada desde o advento do celular com MP3, televisão e acesso à internet. 


“Este é um problema que vem aumentado há dois anos. Além da música, tem gente que assiste ao jogo e à novela”, diz o consultor de mídias digitais Renato Ozório, que já encontrou com “DJs” em trem, metrô e ônibus. Renato chegou a presenciar uma briga na Linha Vermelha. “Um passageiro pediu para a pessoa desligar o celular, mas ela disse que não desligaria porque o passageiro não era dono do metrô”, diz ele, que também iniciou em seu blog (www.viatrolebus.blogspot.com) uma campanha pelo uso do fone de ouvido. 


A universitária Cátia Paiva, de 34 anos, já foi obrigada a ouvir funk, pagode, rap e até música religiosa no ônibus. “É uma falta de educação. Eu sei que é um desrespeito à lei, mas fico intimidada e nunca pedi para desligar o som. Não sei qual será a reação da pessoa. Deveria ter mais fiscalização”, reclama.


Motorista pode convidar usuário a deixar o ônibus
Para Horácio Augusto Figueira, especialista em tráfego e transporte público, faltam fiscalização e ação efetiva para mostrar que a lei deve ser respeitada. “É preciso uma demonstração de que a lei  funciona na prática”, diz Horácio, sugerindo até a participação da polícia em alguns casos. “Nunca vi fiscalização nem motorista ou cobrador tomar alguma atitude”, diz Renato Ozório. 


A CPTM e o Metrô afirmam que seguranças circulam  nos trens e nas plataformas para proibir a infração.  No ônibus, a SPTrans informou que o motorista e o cobrador devem pedir que o portador do aparelho de som o desligue ou use fones de ouvido.  “Se não obedecer, ele é convidado a deixar o ônibus e,  caso se negue, os operadores devem pedir auxílio da polícia. A SPTrans acrescentou que faz campanhas de conscientização.


No Twitter
“Ow animal, já inventaram o fone de ouvido, não é todo mundo que curte seu estilo musical. #cptm”
Arthur Hulk no Twitter
@matutar


“Mesmo sendo proibido por lei, o povo insiste em compartilhar o que ouve no metrô. Cadê fiscalização e fone de ouvido?”
Lucas Oliveira no Twitter 
@lucasafoliveira


“Gente ouvindo música religiosa no ônibus porque a senhora 
ao lado não usa 
fone de ouvido!”
Naomi Kaikuza no Twitter
@kaikuza


“O f… ao meu lado não sabe a arte de usar fone de ouvido. Eu sei e já botei uma Shakira aqui nos ouvidos #cptm”
Karina Flausino Diaz no Twitter 
@ karinamarigold 




Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios