Metrô SP

Linha 15 – Branca do Metrô vai chegar até Guarulhos

Os estudos para a implantação da futura Linha 15 – Branca do metrô estão avançando. Durante reunião realizada na Distrital Penha da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o gerente de Planejamento e Integração de Transportes da companhia, Alberto Epifani, apresentou o projeto funcional, em sua fase atual de execução. A expectativa é de que o projeto básico esteja finalizado dentro de um ano. Caso não haja nenhum contratempo, após o processo licitatório, as obras devem durar em torno de 50 meses.
A Linha 15 – Branca, pelo projeto atual, deve ter 12 estações e 13,2 quilômetros de extensão, interligando o bairro da Vila Prudente, na zona leste, à região da rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos.


A nova linha será totalmente subterrânea, está orçada em aproximadamente R$ 8 bilhões e terá as seguintes estações: Vila Prudente, onde será possível acessar a Linha 2 – Verde; Orfanato, Água Rasa, Anália Franco, Vila Formosa, Guilherme Giorgi, Aricanduva, Penha, com acesso à Linha 3 – Vermelha do Metrô e à Linha 11 – Coral da CPTM; Penha de França (no centro do bairro); Tiquatira, com acesso à Linha 12 – Safira da CPTM; Paulo Freire e Dutra, em Guarulhos.


Benefícios


De acordo com Epifani, a implantação da Linha Branca reforçará ainda mais o conceito do metrô como uma rede integrada de transportes. O executivo elencou uma série de benefícios que a futura linha trará, não apenas para a zona leste, mas para toda a cidade. Além da interligação com a rede metroferroviária, a Linha 15 proporcionará a conexão com os eixos viários radiais do sistema de ônibus das regiões leste e nordeste.


Entre esses eixos estão a Radial Leste, Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Gabriela Mistral, Penha de França, Conselheiro Carrão, Aricanduva, Eduardo Cotching, Sapopemba, Vereador Abel Ferreira / Regente Feijó e Vila Ema / Orfanato. “Uma das principais vantagens dessa linha será desafogar a Linha 3 – Vermelha, proporcionando aos usuários mais facilidade para se deslocar à zona sul e região da avenida Paulista”, afirmou Epifani. Outra grande vantagem será atender a população de Guarulhos e da área nordeste da Região Metropolitana de São Paulo.


Quanto entrar em operação, a expectativa de demanda na nova linha é grande. Estimativas do Metrô apontam que as estações Vila Prudente e Penha sejam as mais movimentadas, com 188 mil e 182 mil passageiros por dia respectivamente. Em seguida vem a Anália Franco (131 mil pessoas), Dutra (72 mil), Tiquatira (60 mil), Paulo Freire (58 mil) e Penha de França (28 mil).


Dúvidas


Uma das principais dúvidas referentes ao projeto é o modelo que será adotado nas interligações entre as linhas. Na Vila Prudente, por exemplo, o Metrô está estudando a hipótese de não construir uma estação de transferência no local para a Linha Branca. A solução pode ser pelo prolongamento da Linha Verde, sem a estação de transferência e a consequente baldeação.


Outra dúvida é quanto à localização do pátio para estacionar os trens. Ele pode ser construído nas imediações da rodovia Fernão Dias, próximo à estação Dutra. Outra possibilidade é junto com a estação Tiquatira, caso a companhia recue e o projeto final não contemple o prolongamento da linha até Guarulhos sob o rio Tietê, o que não é muito provável.


Com as informações de Diário do Comercio

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios