Zusha! Já ouviu falar dessa boa iniciativa?

Acidentes de carro são uma das principais causas de mortes evitável e também de incapacitação [N.T: ou seja, fazendo as pessoas adquirirem algum tipo de deficiência], em todo o mundo, matando cerca de 1,25 milhões de pessoas a cada ano e ferindo de 20 a 50 milhões. Na atual trajetória, a Organização Mundial de Saúde (OMS) projeta que os acidentes de trânsito serão a sétima maior causa mundial de morte em 2030. O problema é particularmente acentuado nos países de baixa e média renda, que respondem por 90% de todas as mortes apesar de ter aproximadamente 50% dos veículos do mundo, de acordo com a OMS.

Zusha! é uma campanha de segurança rodoviária que visa os condutores de veículos de serviços públicos. A campanha distribui adesivos para serem afixados aos ônibus com mensagens incentivando os passageiros a não se calarem e exigirem que os motoristas dirijam com mais segurança — “Zusha” significa “protesto” em suaíli. Os motoristas são incentivados a não retirarem os adesivos de seus veículos por meio de uma loteria semanal com prêmios em dinheiro. O objetivo é reduzir as mortes e lesões por acidentes de trânsito.

Os professores James Habyarimana e William Jack realizaram dois ensaios do programa no Quênia: primeiro, um pequeno estudo piloto de aproximadamente 2.400 veículos seguido de um estudo maior de aproximadamente 12.500 veículos. Os pesquisadores descobriram efeitos grandes e estatisticamente significativos do programa na redução do número de acidentes dentre os veículos que participaram da campanha. Com o apoio de uma bolsa da USAID. Após o segundo estudo a campanha Zusha! foi ampliada no Quênia. Em março de 2016, os professores Habyarimana e Jack estimaram que a campanha alcançou 25.000 dos cerca de 40.000 ônibus e micro-ônibus do país.

Gui2de está executando três estudos adicionais sobre este programa em Ruanda, Tanzânia e Uganda.

Caso deseja saber mais sobre essa iniciativa, acesse: https://medium.com/@altruismoeficaz/por-que-estamos-considerando-a-zusha-como-uma-organizacao-altamente-eficaz-e9df0726abe5

Fonte: altruismoeficazbr

Colaborador: Fernando Moreno


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

2 Comentários deste post

  1. O problema está na consciência do condutor.O veiculo ou estrada pode estar caindo aos pedaços mas se o conduyor tiver a consciência do que tem em mãos e dirige com a segurança que exige, dificilmente haverá acidente e principalmente com vítimas. Em países subdesenvolvidos muitas pessoas evoluem economicamente e se acham o dono do mundo querendo se demonstrar poderoso e que deve passar por todo mundo.Reparem nas Estradas do Brasil, quem tem um carrinho 1.6 se sente na obrigação de ultrapassar o 1.0, fica atrás com o pisca asceso forçando a ultrapassagem, assim que tem um cabine dupla etc…A pessoa evolui economicamente mas não evolui psicologicamente, dirige com os pés ou patas e não com o cérebro.

    Felix / Responder
    • A campanha tem relação com denunciar motoristas imprudentes de veículos coletivos, como ônibus. Sua fala está certa, mas ignorou este ponto.

      Um ponto extra é que na verdade no Brasil não existe incentivo a denúncia, pelo contrário. “Caguetas” são sempre mal vistos por outros (Vide Lava Jato). Se as pessoas se denunciassem entre si, relatando os defeitos alheios, viveríamos na ditadura das regras alheias – talvez essa seja a impressão passada.

      Outra também é ter uma infraestrutura que acolha a denúncia. Não temos ouvidorias ou as que existem não funcionam como se deve – são raros os casos. Rolando nas redes sociais de empresas de transportes, vemos as inúmeras reclamações relativas à má condução dos motoristas de coletivos.

      Anonimato / (em resposta a Felix) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*