Prefeitura de SP quer aumentar sinalização para que multa seja “exceção”

Com o intuito de diminuir o número de multas na cidade de São Paulo, a Prefeitura pretende adotar um programa onde haverá uma maior sinalização nas vias da cidade, começando perto dos radares campeões de autuações.

O secretário municipal de Transportes e Mobilidade, Sérgio Avelleda, disse nesta segunda-feira, 6, que a sinalização será reforçada para avisar ao condutor sobre a aproximação dos equipamentos, com o objetivo de tornar a multa “uma exceção”.

O atual radar campeão é o da chegada a capital pela Rodovia dos Imigrantes media de 18.800 em média por mês, ou uma autuação a cada dois minutos.

“Já estamos começando uma conversa com a Ecovias para fazer uma melhor sinalização ao longo da rodovia na chegada a São Paulo, de maneira que ele ( o condutor) possa reduzir a velocidade”, disse Avelleda.

Outro radar recorde de multas é o do acesso a Ponte das Bandeiras, pela Marginal Tietê.

“Ali, vamos melhorar muito a sinalização de solo e a orientação do condutor. Vamos mudar o radar de lugar. Vamos dar uma oportunidade de ele (o motorista) mudar o comportamento dele ao sair da pista que nós vamos criar para ele acessar a Ponte das Bandeiras”, explicou o secretário.

“Não vamos reduzir número de radares, nem desligar, nem anunciar onde está o radar. O que queremos fazer é que o condutor seja bem orientado sobre a conduta desejada naquele ponto”, afirmou. “Ninguém sai de casa de manhã querendo ser multado. Se a pessoa for bem orientada e bem sinalizada, a autuação vai ser uma exceção.”


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

26 Comentários deste post

  1. A propria matéria ja especifica o motivo de tantas multas: excesso de velocidade!
    Novamente eu digo, o problema não são os radares, e sim os motoristas. Observe: “Já estamos começando uma conversa com a Ecovias para fazer uma melhor sinalização ao longo da rodovia na chegada a São Paulo, de maneira que ele (o condutor) possa reduzir a velocidade”, só nessa colocação o Sr. Avelleda mostra o atual problema da “industria das multas”. Se for o caso do cara tomar uma multa trafegando em velocidade inferior a maxima, ou pior, tomar multa com o carro parado (eu já vi), o procedimento é simples, basta recorrer. Mas ai o cara está numa via de 90km trafegando a 110km e ainda diz que foi multado injustamente,

    Nicolas Ferreira / Responder
  2. Que eu saiba isso já foi feito outras vezes, e nada mudou, falando nisso que já ele disse que ira apagar as pichações na cidade, cadê os caras aqui em Itaquera, não vi nada ainda.

    Rodrigo Santos / Responder
    • Liga 156 e pede para apagar lá. Ou chama alguém da imprensa da região que rapidinho eles apagam. Esta gestão é muito “marqueteira”.

      Anonimato / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
    • No Tucuruvi, Jabaquara (próximo às divisas) e Zona Oeste (tbm próximo às divisas) também não vi nada de “cidade linda”… Por que será!?

      O.Juliano / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
  3. E essa gestão, pouco mais de um mês após ter assumido, demonstra que demagogia e ações populistas, darão o tom. O secretário diz: “Não vamos falar onde está o radar”, mas a sinalização aumentará perto dos radares. Qual a diferença então, entre o famoso frear perto do aparelho? A velocidade é padronizada desde a gestão passada, sendo 50km o valor padrão e podendo aumentar um pouco em vias expressas e diminuir perto de escolas e hospitais. Que tipo de informações as pessoas precisam mais, além da velocidade máxima permitida naquela via? A velocidade não é para ser respeitada quando estiver abaixo do radar, mas durante toda a vida ! É simples assim.

    Jose Rocha / Responder
    • Quase perfeito seu comentário, mas há um ponto: “Não vamos falar onde está o radar”, mas a sinalização aumentará perto dos radares. Qual a diferença então, entre o famoso frear perto do aparelho?

      Via de fato, há uma verdade: radares servem para comprovar que naquele trecho os veículos circulam abaixo da velocidade solicitada. As sinalizações antigas eram razoavelmente claras, mas de fato e isso não nego, há sim áreas onde o radar fica com “sinalização pega-distraído”.

      O ideal é que a sinalização em uma região que necessite de redução de velocidade seja feita de forma que a redução de velocidade se torne linear. Regiões próximas a pedágio são um destes exemplos: a redução geralmente começa entre 1,5 a 1 km, gradativamente colocando placas que sinalizam redução na área de pedágio e bloqueios eletrônicos (sistema “sem parar”).

      Isso vale também para vias expressas onde por exemplo a velocidade é 50 e a redução em uma área deve ser de 40 ou 30, seja uma travessia de pedestres ou acesso de veículos por exemplo. Uma redução linear de forma que a pessoa não pare de forma brusca.

      O mais ideal ainda seria a implantação do sistema “por trechos”, onde a fiscalização de velocidade se dá pela média e não pelo ponto. Este tipo de fiscalização creio que é muito mais eficiente para a manutenção de velocidades constantes. :)

      No Brasil, sei que só a Rodovia Dom Pedro está (ou estava) com isso em testes, pois ia implantar junto com o sistema de cobrança “por área” usando as tags.

      Anonimato / (em resposta a Jose Rocha) Responder
      • Perfeito. Concordo com seu complemento !

        Jose Rocha / (em resposta a Anonimato) Responder
      • Concordo com tudo que vocês dois (José Rocha e Anonimato) falaram! Isso sim é um pensamento de melhoria! Não criar mais apontadores de onde está o radar, isso o Waze já faz…

        O.Juliano / (em resposta a Anonimato) Responder
  4. Quer que vire exceção? coloque um tag no carro, pronto, saberá como está a velocidade media do individuo e nao somente a maxima temporal …

    Alexandre I / Responder
  5. Nunca vi uma campanha tão sórdida como esta de falar que existe a industria da multa, inclusive inflada por alguns apresentadores de TV que devem gostar de andar em alta velocidade, passar sinal vermelho, falar ao celular etc…, o motorista brasileiro e folgado e mal educado, tem que multar mesmo, e parar com esta frescura de industria da multa, acho inclusive quem tem que aumentar os valores das multas em 1000%

    Pedro / Responder
  6. Exatamente, Pedro. Pixador, querem aumentar a multa pra R$ 50 mil, e pq não para um motorista alcoolizado ou a 200 km /H.

    Jean / Responder
    • Concordo, deve ser punido com rigor quem não cumprem as leis e não punir todos que respetam a Leis.Baixar a velocidade pune todos que não respeitam 90,80,70,60 ou 50 kmh.

      Felix / (em resposta a Jean) Responder
    • Essa do pichador concordo dependendo do acidente, e for com morte, deveria ser inafiançável.

    • É que pixação (principalmente as de protestos) sempre ficam expostas na cidade, já as mortes causadas no trânsito viram apenas números no final do ano…

      O.Juliano / (em resposta a Jean) Responder
      • Contabilize no seu método as mortes ocasionadas por ônibus, Sendo que a frota de ônibus é menor mais ocasionando a maioria dos acidentes fatais, ou seja, numeros manipulados pela Gestão anterior. É Só o jeito de interpreta os dados. A velocidade é apenas uma desculpa para arrecadar mais com as multas. Consciência e bom senso faltam a todos envolvidos nessa realidade.

        Roberto / (em resposta a O.Juliano) Responder
        • Roberto, não faz sentido dizer que “A velocidade é apenas uma desculpa para arrecadar mais com as multas” exceto se você acredita que as velocidades das vias deveriam ser determinadas pelo condutor e não pelo órgão municipal. Se a via tem velocidade máxima permitida X, ela deve ser respeitada indiferentemente se o condutor quer andar na velocidade Y. As mortes ocasionadas por ônibus devem ser igualmente investigadas tanto quanto as mortes ocasionados por outros tipos de veículos, desde o patinete até o caminhão.

          Se os números estão sendo manipulados ou não, é outra história. O que eu vi nos últimos dias foi a “correção” de dados desta gestão com relação à gestão anterior aumentando drasticamente o número de mortes correlacionando à ineficácia da redução de velocidade nas marginais. Aí fica a dúvida: quem está manipulando os dados? A CET então serve pra quê? Pra ser uma empresa manipuladora dependente da gestão atual? Pois se for isso, todos estão errados e ninguém está certo.

          O.Juliano / (em resposta a Roberto) Responder
        • de novo esse papinho de.. a mas o ônibus mata mais… sem fontes… ainda bem que o bom senso impera nessa sua realidade…

          Alexandre i / (em resposta a Roberto) Responder
      • Contabilize no seu método as mortes ocasionadas por ônibus, Sendo que a frota de ônibus é menor mais ocasionando a maioria dos acidentes fatais, ou seja, numeros manipulados pela Gestão anterior. É Só o jeito de interpreta os dados. A velocidade é apenas uma desculpa para arrecadar mais com as multas. Consciência e bom senso faltam a todos envolvidos nessa realidade.

        Roberto / (em resposta a O.Juliano) Responder
  7. Devia é acabar com estes radares e só permitir lombada eletronica, o radar nao tem carater educativo e nem evita acidentes é somente arrecadatorio.

    fabio / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*