VLT

Por que o VLT do Rio tem pantógrafo e não usa rede aérea nas ruas?

O sistema de Veículo Leve Sobre Trilhos – VLT do Rio de Janeiro, que trafega pelo centro da cidade, não possui rede elétrica, e sua alimentação é por meio de um sistema instalado no solo.

Trata-se do APS que significa “Alimentation par Sol” ou “Alimentation Par le Sol“,  uma forma de fornecimento de energia no nível do solo para VLTs, em outras palavras, VLT sem catenária e com alimentação no solo. A tecnologia foi desenvolvida e fornecida pela Alstom.

O sistema consiste em um trilho, localizado entre os trilhos de rolamento, que fornece energia para a movimentação dos veículos. Ajuda a preservar a paisagem urbana com segurança, já que os trilhos só são energizados quando há contato com o trem.

Mas por que todos os 32 trens contam com pantógrafo? A resposta está no vídeo abaixo, onde na garagem de manutenção, a famosa e tradicional rede elétrica é usada:

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios