Metrô SP

Prazo para CBTC na Linha 1-Azul do Metrô é adiado mais vez

A modernização do sistema de sinalização e implantação do CBTC (Communications-Based Train Control – Controle de Trens Baseado em Comunicação) nas linhas 1, 2 e 3 o Metrô de São Paulo teve seu contrato assinado com a Alstom em julho de 2008, e até 2022 apenas está operacional no eixo de transporte que liga a Vila Prudente e a Vila Madalena.

O acordo entre a operadora e a multinacional francesa já foi alvo de investigação do Ministério Público de São Paulo, sobre o perdão de uma dívida estimada em R$ 116 milhões. Além do perdão da multa, o governo paulista também aceitou que o CTBC seja entregue pela Alstom até 2021. Sobre promessas da atual gestão, o prazo era até 2020, e depois acabou sendo postergado até 2021.

De acordo com publicação do site Metrô/CPTM, “o Metrô teria solicitado adaptações para que o CBTC funcionasse de forma mais parecida com o ATC enquanto a Alstom, multada, reclamava que nunca havia instalado um sistema assim em uma linha em operação.”

No relatório de empreendimentos da companhia, datado do mês de dezembro, a funcionalidade na Linha 1-Azul teve o cronograma atualizado para fevereiro de 2022, assim como o funcionamento das portas de plataforma nas duas estações terminais. Já na Linha 3, o prazo segue em julho de 2022, assim como as divisórias de vidros nas paradas das pontas.

O contrato com a Alstom, referente à modernização dos Sistemas de Telecomunicações e Sinalização
das Linhas 1, 2 e 3 foi retomado em 11/02/2016, em um acordo homologado no Juízo Arbitral”
, diz trecho do documento.

Foto: Raphael Comitre

Melhorias

A nova funcionalidade promete melhorias, como mais trens por hora e menores intervalos, consequentemente. O CBTC é um sistema de controle automático de trem que utiliza alta precisão na determinação da localização do trem independente de circuitos de via.

Os sistema oferta a possibilidade de uma comunicação digital bilateral entre as composições e a infraestrutura de linha. As informações são transmitidas em tempo real à central de controle e a cada trem. No sistema atual, a movimentações das composições é feita através de blocos. No CBTC, este movimento será feito virtualmente ou por meio de comunicação via frequência de rádio. O novo sistema além de aumentar a capacidade de transporte da linha, reforça a segurança.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios