Recordar é viver

5 corredores de trólebus na Grande São Paulo que nunca saíram do papel

O ABC Paulista é cortado por meio de um corredor de trólebus, que atende as cidades de São Paulo (Zona Leste), Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema, e novamente a capital paulista, na Zona Sul. O eixo de transporte desenvolve um papel importante no deslocamento regional, tanto que a saturação em alguns horários.

Mas o ABC não seria o único contemplado com corredores de trólebus intermunicipais. Na década de 70 nascia o denominado de Sistema de Transportes Urbanos de Passageiros da Região Metropolitana de São Paulo (SISTRAN), que buscava integrar os modais e sistemas de transporte.

O plano era uma reposta dos projetistas na área de transporte para a crise do petróleo, ocorrida naquela mesma década.

Plamurb

De acordo com texto do site Plamurb, além do corredor do ABD, haviam projetados pelo menos outro cinco corredores intermunicipais que utilizariam os ônibus elétricos:

  • Guarulhos (Vila Galvão) – Santana;
  • São Caetano – Vila Mariana;
  • São Bernardo do Campo – Ipiranga;
  • Taboão da Serra – Pinheiros;
  • Osasco – Pinheiros.

Descontinuidades políticas e administrativas, alegação de falta de verbas e a perda de rigor prejudicaram o andamento do Sistran. Já na década de 90, pelo menos na primeira metade, o que existia da tecnologia de transporte, estava precário, o que contribuiu para afastar ainda mais os planos da realidade.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios