Foto: Renato Lobo | Via Trolebus
Monotrilho

Como está o processo de concessão do monotrilho da Linha 15-Prata?

O governo do estado tinha planos de conceder a Linha 15-Prata do monotrilho para a iniciativa privada. O Processo de concessão teve a abertura das propostas em março de 2019, mas o processo foi anulado judicialmente em novembro daquele ano.

O processo foi anulado por decisão do juiz Kenichi Koyama, da 11ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo. A ação, movida pelo Sindicato dos Metroviários, pleiteava a ilegalidade da licitação por diversas razões e foi impetrada às vésperas do leilão, que teve apenas uma proposta apresentada, a da ViaMobilidade Linha 15, concessionária formada pela CCR (80%) e RuasInvest (20%).

Desde então, o processo seguiu suspenso, e de acordo informações publicadas no Diário Oficial do Estado, no caderno do Poder Legislativo desta sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021, “os autos foram remetidos à instância superior para apreciação da apelação”.

Segundo ainda a publicação oficial, não há prazos para o julgamento da decisão. “O Parecer da Procuradoria-Geral de Justiça – PGJ, foi juntado ao processo em agosto/2020. O Processo está em análise pelo relator desde então e sem previsão para o julgamento”, diz o texto.

Foto: Metrô de São Paulo

Pandemia e movimento abaixo do esperado

Se a Linha 15 tivesse sido concedida, o operador teria problemas com o baixo fluxo de passageiros. No mesmo trimestre que o monotrilho passou a funcionar integralmente entre São Mateus e Vila Prudente, chegou a pandemia de covid-19, que fez despencar o fluxo de usuários nos transportes.

A previsão era que o trecho transportasse mais de 300 mil passageiros, mas o Metrô hoje não transporta nem perto desta quantidade. A média de usuários por dia útil no monotrilho ficou em novembro de 2020 em 66 mil, segundo dados no site da operadora. A Linha 15 teve seu ápice no carregamento em fevereiro de 2021, quando transportou 116 mil em média por dia. Após o hiato de fechamento por quase 3 meses, por conta de problemas técnicos, em junho, após a reabertura da linha, em um cenário já com pandemia, levou apenas 16 mil em média por dia, e esse volume vem crescendo mês a mês:

  • Janeiro – 98 mil passageiros (média/dia útil);
  • Fevereiro – 112 mil passageiros (média/dia útil);
  • Junho – 16 mil passageiros (média/dia útil);
  • Julho – 44 mil passageiros (média/dia útil);
  • Agosto – 52 mil passageiros (média/dia útil);
  • Setembro – 60 mil passageiros (média/dia útil);
  • Outubro – 64 mil passageiros (média/dia útil);
  • Novembro 66 mil passageiros (média/dia útil);

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios