Foto: Valter Pontes/Secom
Ônibus

Com o fim do trem de subúrbio, Salvador monta esquema para operação de ônibus

Os trens no Subúrbio de Salvador vão deixar de operar na próxima segunda-feira, 15 de fevereiro, e a Secretaria de Mobilidade (Semob) montou uma operação assistida para atender a nova demanda de passageiros que deve migrar para os ônibus na região.

Haverá veículos de prontidão em pontos estratégicos, reforçando o atendimento quando necessário, principalmente nos horários de pico. Serão oito veículos das 5h30 às 9h, dos quais quatro ficarão em frente ao centro de abastecimento de Paripe e quatro no Largo do Luso. No pico da tarde, das 16h às 19h, oito veículos da frota reguladora ficarão à disposição no Terminal da França.

Além do reforço da frota reguladora, neste primeiro momento não foi necessária a criação de nenhuma nova linha, visto que a região do Subúrbio já possui diversas linhas que atendem os mais variados destinos da cidade” afirmou o secretário de Mobilidade, Fabrizzio Muller.

Há 31 linhas de ônibus convencional que fazem a operação no Subúrbio, além de cinco linhas do Sistema Complementar (SETC). Durante a operação, 394 veículos estarão alocados na região da Avenida Suburbana e Estrada do DERBA.

Com o fim do trem de subúrbio, os usuários atendidos pelo serviço deverão pagar mais para se deslocar no trecho que era atendido pelo transporte sobre trilhos. O ônibus custa R$4,20, valor superior aos R$0,50 praticados pelos trens.

“Infelizmente a prefeitura não tem como arcar com uma tarifa social neste momento, visto que não há subsídio para as empresas de transporte de Salvador, que já estão passando por um momento difícil em decorrência da baixa demanda de passageiros por conta da pandemia, inclusive com uma das concessionárias sob intervenção”, afirma o secretário Muller.

Os passageiros que utilizarem os ônibus poderão agora contar com a integração, opção não que não era contemplada pela operação de trens. A integração poderá ser feita entre ônibus convencionais, STEC, ou mesmo com o metrô, pagando apenas uma passagem pelo período de 2h, utilizando o Salvador Card. Após a conclusão das obras do VLT, a integração também irá contemplar o trem leve.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios