Foto: Samuel Rocha
EMTU

Levantamento mostra as cinco linhas mais problemáticas da EMTU

Um levantamento feito pelo G1 aponta as cinco linhas com maiores falhas ocorridas durante a operação, no período entre janeiro a setembro de 2020. Os dados coletados pela reportagem apontam que uma falha ocorreu no período em ligações intermunicipais a cada 17 minutos em 2020.

Nos meses de coleta, de acordo com a publicação, foram 23.947 falhas, tendo os principais problemas como mecânicos, como pneu furado e falta de embreagem.

Foto: Samuel Rocha

Já a EMTU afirmou que as linhas relacionadas pela reportagem cumpriram cerca de 341 mil viagens e percorreram 10 milhões de quilômetros de janeiro a setembro de 2020. A gerenciadora também informou que realiza inspeções regulares na frota e que cerca de 400 itens verificados estão relacionados à segurança, manutenção e conservação do coletivo.

Ranking com as linhas problemáticas:

  • Linha 32 – Itapecerica da Serra (Parque Paraíso)/São Paulo (Pinheiros) – 379 falhas
  • Linha 75 – Arujá (Parque Rodrigo Barreto)/São Paulo (São Miguel Paulista) – 342 falhas
  • Linha 931 – Praia Grande (Jardim Samambaia/Santos (Paquetá) – 298 falhas
  • Linha 513 – Itapecerica da Serra (Jardim das Oliveiras)/São Paulo (Metrô Capão Redondo) – 273 falhas
  • Linha 273 – Suzano (Centro)/Arujá (Parque Rodrigo Barreto) – 248 falhas

Principais falhas nos ônibus

  • Sem partida – 1221
  • Problema mecânico – 727
  • Pneu furado – 627
  • Pane elétrica – 546
  • Sem embreagem – 463
  • Cortando aceleração – 381
  • Problema mecânico – 349
  • Sem aceleração – 297
  • Validador inoperante – 275
  • Motor sem força – 273

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Isso apenas demonstra o quão ineficiente, problemática e incompetente é a EMTU em sua gestão e operações, uma vez que como toda empresa pública paulista, é um buraco negro de desperdício, serviços péssimos e déficits com o dinheiro público.
    A extinção dessa empresa certamente foi uma das poucas coisas boas feitas encabeçadas pelo Dória, afinal, quanto menos burocratas omissos, inaptos e negligentes, melhor.
    Espero que no futuro o Metrô e a CPTM também seja extintos e/ou privatizados, uma vez que a cultura política e social do Brasil já provou na prática que serviços de gestões estatais como este acima só servem para prejudicar e atrapalhar a vida do cidadão que sustenta essa máquina toda.

    • Prezado,

      O sistema de ônibus intermunicipais só não e pior por causa da EMTU. Você apenas tem uma visão simplista e ultrapassada das coisas. As culpadas pelas falhas são as próprias empresas de ônibus e estas ja São privatizadas. Ocorre falhas porque falta fiscalização e falta fiscalização justamente porque pessoas como você querem o desmonte dos serviços públicos oficiais. Há 20 vinte anos o PSDB está aí privatizando tudo e nada melhorou. Acorda pra vida e pare com essa visão rasa de “basta privatizar que resolve”

    • o que eu acho mais engraçado no seu comentario, é destilar todo odio a EMTU e nenhum as empresas de onibus. ou seja, enaltece as empresas privadas, sendo que todas essas falhas sao cometidas pelas proprias. se existe uma grande falha no poder publico neste caso, é justamente em nao punir e continuar delegando a prestaçao de serviço de serviços a essas empresas. é um show de incoerencia…

Publicidade

Anúncios