Supervia

Segurar as portas do trem pode deixar composição indisponível por até 48 horas

Segurar a posta de um trem ou forçar sua abertura pode atrasar a operação de todas as composições, e consequentemente a viagens dos outros passageiros.

A pratica ainda pode causar problemas piores, como a indisponibilidade do material rodante para a operação, quando o ato danifica os equipamentos.  É o que diz uma publicação nas redes sociais da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro – Agetransp.

A empresa diz que as praticas descritas acima podem tirar uma composição de operação por até 48 horas, assim como outros atos de vandalismo. “Quando um trem precisa passar por reparo não programado, ele fica fora de operação por até 48h, deixando de transportar milhares de passageiros. Por isso, é importante não praticar atos que possam causar danos, como forçar abertura ou tentar impedir o fechamento das portas”, diz a publicação.

Infelizmente o cenário não é exclusivo do Rio de Janeiro, e é visto em outros sistemas de outros estados, como nos sistemas de trem e metrô em São Paulo.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios