Foto: Vitor Barbosa
Metrô SP

Trens da frota K são vistos em estacionamentos da Linha 2-Verde do Metrô

A Frota K do Metrô de São Paulo é composto por 25 trens (antigos matrículas C01 até C25), que atualmente vai do K01 até K25. Operam na Linha 3-Vermelha [Palmeiras-Barra Funda – Corinthians-Itaquera]. Mas, algumas unidades tem sido vistas em estacionamentos da Linha 2-Verde, como mostra o vídeo do Matheus Barbosa, do canal The Railway:

Os trens foram vistos no estacionamento de Clinicas, e no Pátio Tamanduateí. O antigo trem da frota Cobrasma, no entanto, não deve prestar serviços na linha que liga a Vila Madalena até a Vila Prudente. As composições estão calibrando a tecnologia CBTC, que se trata do sistema de sinalização, presente na Linha 2, e em instalação na Linha 3 e 1.

Foto: Via Trolebus

O CBTC (Communications-Based Train Control), em português que significa sistema de Controle de Trens Baseado em Comunicação, oferece a possibilidade de uma comunicação digital bilateral entre as composições e a infraestrutura de linha. As informações são transmitidas em tempo real à central de controle e a cada trem. No sistema atual, a movimentações das composições é feita através de blocos. No CBTC, este movimento será feito virtualmente ou por meio de comunicação via frequência de rádio. O novo sistema além de aumentar a capacidade de transporte.

A tecnologia esta em operação nas linhas 2, 4, 5 e 15, e é prometido nas linhas 1 e 3 do Metrô, e nas linhas 8, 10 e 11 da CPTM.

Especialistas apontam o CBTC como solução para automatizar a movimentação dos trens, e integração do sistema de comunicação onde há basicamente três redes: uma cabeada interligando todas as estações, pátio e centro de controle, uma rede de rádio comunicação wireless interligando trem e equipamentos de via (IEEE 802.11 g/a – 5.8 GHz) e uma rede Etehernet interligando os sistemas do trem.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • O fato dos trens da frota “K” do Metrô terem a sua provável utilização na Linha 2-Verde devem se ao fato de se aproveitarem e possuírem as mesmas características construtivas padronizadas dos das Linhas 1 e 3, da mesma forma que os Metrô-Rio, DF, MG entre outros, e serem utilizados os pátios de lavagem, oficinas, peças sobressalentes, garagens e composições em comum, da mesma forma, exatamente como acontece hoje com as linhas de todas composições da CPTM-SP, não possuírem exclusividade e que poderiam trafegar em toda sua rede, assim como em todas as linhas da SUPERVIA-RJ, CBTU-MG, e inúmeras outras maiores cidades do Brasil, em que esta flexibilidade de interpenetração sem baldeações, o que não ocorre se variar as formas construtivas por conta de uma economia irrelevante.

    Lembrando que no caso da Linha 2-Verde, irá se interpenetrar sem transbordo caso desejasse quando está futuramente ira Cruzar / Integrar com a Linha 2-Vermelha, das quais estas composições “K” são oriundas na estação Penha, além facilitar imensamente seus deslocamentos, algo que acontece atualmente e que já esta sendo corrigida que é a extensão da Linha 5-Lilás até a Estação do Ipiranga da Linha 10-Turquesa.

    Possuo esta visão por conta de minhas atividades cotidianas em especificações de escopo técnico e orçamentos e planejamento em engenharia em empresa cuja diversidade de componentes é dezenas de vezes superior a esta citada.

    • Nesse caso eles só estão testando o CBTC do trem, pois o Tamanduateí mal comporta os trens da linha 2, não tem pq eles mandarem os trens da linha 3 para a 2 para manutenção, sendo que a própria linha 2 manda seus trens para o pratio Jabaquara (Linha 1) para manutenções mais sérias

Publicidade

Anúncios