Foto: Renato Lobo | Via Trolebus
Monotrilho

Metrô rescinde contrato com empresa, e deve analisar outras propostas para o monotrilho da Linha 17-Ouro

Atualizado às 17h48

Seguindo decisão judicial, o Metrô acabou rescindido o contrato com a Constran Internacional Construções S.A. para finalização das obras do monotrilho da Linha 17-Ouro. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado. O processo estava suspenso na justiça, e as construções estavam paradas.

A Companhia agora deve analisar outras propostas para finalização dos trabalhos nas estações, com exceção de Morumbi.

Mas o desfecho com a Constran ainda não livra a Linha 17 de todos os entraves. Um outro contrato para fabricação dos trens, vencidos pela BYD, segue suspenso.

Foto: Renato Lobo

Sem prazos para inauguração

Com previsão de 8 estações na Linha 17, sendo que a finalização dos trabalhos em sete delas seguem parados, o Metrô toca serviços auxiliares nos locais, além das obras da estação Morumbi.

Caberá a nova construtura o acabamento do Pátio Água Espraiada e das estações Aeroporto de Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro e Chucri Zaidan.

O prazo para finalização dos trabalhos, antes do contratempo na justiça, era para 2022.  O presidente do Metrô, que costuma responder os questionamentos dos seguidores, inclusive com prazos de entrega, no caso da Linha 17 não cita mais a data.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios