Ônibus

Os ônibus biarticulados vão continuar sendo produzidos?

Destinados a grande corredores de transportes, e com capacidade que varia entre 230 e 300 passageiros, os biarticulados tem sido cada vez menos vistos nas cidades, pelo menos nas Brasileiras. A onda do superarticulado, modelos com uma articulação, mas com o segmento traseiro alongado, parece que veio para ficar, já que oferecem menor custo, ao passo em que sistemas de transporte vem perdendo passageiros. Mas as fabricantes dos grandes sanfonados seguem desenvolvendo modelos com três segmentos.

A ideia de um ônibus utilizar mais de dois segmentos surgiu na Suécia, em 1947, quando um protótipo da Scania-Vabis foi testado para puxar 3 trailers. Entretanto o primeiro veículo com duas articulações e intercomunicação protegida por cortinas sanfonadas, foi apresentado na Exposição de Hanover (Alemanha) somente em 1981.

A líder neste mercado é sueca Volvo, que desde 1991 fabrica chassis com motores horizontais montados centralmente entre os 1º e 2º eixos (Volvo B58E, B10MA, B12MA, B12MTX e B340M). Em 2003 a empresa lançou o chassi B9S encaroçado pela Säffle (cujo conjunto foi batizado de Volvo 7500) destinado ao mercado europeu onde o motor era vertical e montado lateralmente à esquerda entre os primeiros eixos, permitindo o piso baixo total em toda a extensão do ônibus.

A Volvo também produziu o modelo biarticulado apelidado de Martão, em referência a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, sendo que o volante assim como o motorista ficavam na parte central frontal, e não do lado esquerdo.

A segunda em vendas é a belga Van Hool, que fabrica biarticulados com piso baixo total desde 1993, voltados para o mercado europeu. O modelo vendido comercialmente como Agg300 possui mecânica semelhante ao do Volvo B360S, embora os vendidos entre 1993 e 2000 tenham radiador lateral.

A Van Hool também produz o Exquicity 24, disponíveis nas versões híbrido, convencional e até em trólebus. O Exquicity 24 foi lançado em 2012 com a aparência de um VLP (Veículo Leve Sobre Pneus). Outras fabricantes com vendas menos relevantes são a Hess, VDL e Neoplan.

Por falar na suíça Hess, com ônibus elétricos biarticulados ‘low floor’, que produz este tipo de veículo desde o início dos anos 2000 batizados como Swiss Trolley (posteriormente como Lightram), em 2011 a empresa lançou o híbrido diesel-elétrico Lightram Hybrid com piso baixo.

Falando nos e-buses, até a Chinesa BYD conta com seu modelo de K12A, um ônibus articulado duplo de 27 metros puramente elétrico. Os dois exemplos mostram que as empresas que produzem veículos limpos, consideram os biarticulados em seus cardápios de produtos.

Modelos com 30 metros

Nesta década, pelo menos duas empresas apresentaram modelos com 30 metros, capazes de transportar até 300 passageiros, o que também demonstra que a industria ainda tem olhos para os grandes sanfonados.

O AutoTram Extra Grand, produzido na Europa por empresas regionais, entre elas a Man, conta com 30,7 metros de comprimento e capacidade máxima de 256 passageiros, sendo o maior ônibus de passageiros do mundo atualmente em serviço.

Já a Volvo lançou em 2016 o Gran Artic 300, biarticulado de 30 metros de comprimento e capacidade para transportar 300 passageiros.

A industria dos ônibus elétricos, assim como os veículos convencionais seguem na produção dos grandes veículos de três segmentos, o que evidencia vida longa aos grandalhões.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Poderiam utilizar esses modelos de bi articulados no BRT aqui de São Paulo, Expresso Tiradentes. Atualmente você vai encontrar este ônibus(em raras aparições) na linha São Mateus/ Estação Tamanduateí.

Publicidade

Anúncios