Metrô

Boris Johnson diz que só ajuda Metrô de Londres se sistema operar sem condutor

Colaborou: Narciso de Queiroz

O governo concedeu à TfL – Transport for London, o órgão responsável pela maioria dos sistemas de transporte na Grande Londres, na Inglaterra, um pacote de ajuda financeira de £ 1,6 bilhão em maio, após uma queda na receita motivada pela crise do coronavírus, que levou ao distanciamento social e queda no número de usuários. O financiamento deve expirar em setembro. As informações são do site Cityam.

De acordo com a publicação, o Primeiro Ministro Boris Johnson disse que os trens do sistema de Metrô de Londres conhecido como Tube, devem operar sem operador sendo uma condição para qualquer futuro resgate do governo.

Você pode operar esses trens sem a necessidade de alguém ficar sentado no táxi do motorista o tempo todo”, disse o primeiro ministro. “Então, o que vou dizer à autoridade de transporte de Londres é que vamos aproveitar esse salto tecnológico adiante – não vamos mais ser prisioneiros dos sindicatos” –  afirmou.

Johnson acrescentou ainda que os trens sem motorista eram o “caminho a seguir” para o país e que seriam a chave para impulsionar a economia do Reino Unido.

Tentativa frustada

O atual primeiro ministro, quando foi prefeito de Londres, já tentou introduzir o chamado driverless, com composições operando sem maquinistas, na cidade, mas a pressão do sindicato fez com que o projeto não vingasse.

A entidade trabalhista temia por um desemprego em massa. Na época, o sindicato ameaçou uma paralisação no sistema, e o mesmo ocorre agora.

“Esse é o tipo de golpe político barato que era uma marca registrada de seu tempo como prefeito e esperávamos que ele tivesse crescido até agora”. –  diz um representante dos trabalhadores.

“Os serviços de transporte não precisam desse tipo de destaque político para o direito conservador – eles precisam de segurança de financiamento, serviços e empregos. O primeiro-ministro precisa eliminar esse tipo de lixo e se familiarizar com os sérios desafios que o setor de transportes enfrenta à medida que o bloqueio diminui. ” –  diz um comunicado da entidade trabalhista local.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios