Foto: GESP | Divulgação
CPTM

Sindicato pede suspensão de prazo para consulta pública de concessão de linhas da CPTM

O Sindicato dos Trabalhadores das Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana informou na tarde desta quarta-feira, 13 de Maio de 2020, que protocolou um novo pedido de suspensão do prazo para envio de sugestões e esclarecimentos de dúvidas sobre a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM.

Estamos muito preocupados com o processo de concessão das linhas 8 (Diamante) e 9 (Esmeralda) da CPTM, especialmente num momento de graves problemas causados pelo novo coronavírus, com reflexos diretos na sociedade como um todo”, diz a entidade em um comunicado.

“O Sindicato da Sorocabana entende que a consulta pública é um instrumento que dá legitimidade, transparência e incentivo à participação da sociedade no processo de concessão das linhas 8 e 9 da CPTM. Exatamente por isso deve ser suspenso, até a situação de saúde se normatizar”, afirma José Claudinei Messias, presidente do Sindicato da Sorocabana.

“Somente com a participação de todos os agentes da sociedade é possível estabelecer um diálogo amplo e democrático e que atenda às reais necessidades de quem precisa do transporte público para se locomover”, complementa o presidente do Sindicato da Sorocabana.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Sindicatos atualmente são a coisa mais inútil que existe, e através de atitudes irrelevantes e absurdas como essa, apenas justificam sua inutilidade contra o progresso e a vontade da população.

    • os sindicatos representam categorias de trabalhadores e sao a voz do trabalhador perante as empresas e a sociedade, logo nao sao inuteis. inutil é o sindicato que nao representa e nao defende sua categoria. seu comentario apenas se baseia num modismo atual onde o trabalhador nao se reconhece como tal. é o terraplanismo fazendo escola.

      • Concordo com vc. Mas no Brasil por enquanto, é bom deixarmos os sindicatos de fora, e buscarmos outras formas que permitam análises de problemas estruturais sem politicas ideológicas e sem políticas partidárias. Todos nós temos que dar nossa cota de sacrifício para um bem maior, mas os sindicatos neste momento não estão dispostos a fazer por onde confirmarmos neles.

        • a função do sindicato é representar categorias, nao só de trabalhadores, como citei acima, mas tambem patronais. pode acreditar que ruim com sindicato, pior sem eles.

          sobre análise de problemas estruturais, isso nao é funçao do sindicato. isso é função do poder público, daquelas pessoas que os eleitores elegem e que nunca são cobradas como se devem.

  • No momento atual entendo ser mais importante a inclusão um serviço de trem de passageiros intercidades entre a capital e Sorocaba no pacote de concessão caso ela ocorra, com prazo para ser executado, pois caso esta inclusão não ocorra se irá entregar o filet mignon e ficar com o osso e será mais uma vez o estado subsidiando o privado, ou seja se privatiza o lucro e socializa o prejuízo, e após isso ocorrer não adiantará ficar reclamando.
    Outra atitude estranha nesta concessão e que carece de confirmação é o fato que faz parte desta ceder os atuais carros, e assim que os trens novos a serem adquiridos pela concessionária, os trens usados serão devolvidos para a CPTM desgastados e com valor depreciado, de forma que a população irá dizer, Esta vendo, depois que foi feita a concessão a qualidade melhorou enquanto o outro vai levar o mico.
    O operador faria a gestão do trem metropolitano e do Intercidades, não tem como se separar, sob o risco de se ocorrer o mesmo imbróglio que aconteceu na GRU Airport, em que um contrato de concessão mal elaborado no qual os passageiros tem que fazer um transbordo desnecessário a 1,2km do primeiro terminal e 2,5km do terceiro, desmotivando a utilizar a Linha 13-Jade, lembrando que ainda existe um trecho em linha métrica entre a última estação com relação a Sorocaba que deverá ser retificado e rebitolado em 1,6m.
    Caso esta concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda sejam planejadas, e executadas, além das ações do operador privado deverão incluir a construção da nova estação Ambuitá, em Itapevi, e da unificação da Estação integradora Lapa, promovendo a conexão e integração entre as linhas 7-Rubi, 10-Turquesa, 9-Esmeralda e 8-Diamante.
    Também é fundamental e imprescindível que se revitalize a Estação terminal Júlio Prestes que hoje está subutilizada para receber os trens metropolitanos e o futuro Trem Intercidades procedentes desta região.

    • meu amigo, entenda uma coisa: toda concessao , privatizaçao, terceirizaçao ou que seja, sempre é um contrato de avó pra neto. se nao for assim, ninguem entra. e nao adianta alguem vir dizer o contrario, porque é assim que funciona.

      esquece trem intercidades. se o governo nao consegue nem terminar a extensao até varginha, imagina revitalizar todo o trecho entre amador e sorocaba para receber um trem intercidades. esquece

      investimento privado só existe com dinheiro publico. a CCR não fará nenhum investimento para estender a linha depois de amador bueno. isso se manter o trecho entre amador bueno e itapevi, visto que é deficitario e conta hoje com os trens serie 5400. o que a CCR vai fazer, caso a concessao realmente saia do papel, é fazer o mesmo que a CPTM faz hoje. os investimentos pesados serao feitos pelo estado. os 2,6 bilhoes de investimentos + outorga, a CCR recupera em pouco tempo de gestao, haja visto a linha 5. as linhas 8 e 9 sao superavitarias e sao as mais modernas da CPTM. o que o governo quer com essas concessoes e privatizaçoes é fazer dinheiro em caixa, simples assim. é como vc vender seu carro e passar a andar de uber ou aluguel de carro. no curto prazo é bom, no medio e longo prazo a conta chega. o orçamento da prefeitura de SP com subsidio a empresas de onibus é maior que o orçamento do metrô.

  • Não sou totalmente contra as concessões, mas acho que elas poderiam ser feitas de um jeito mais benéfico a população, uma contrapartida melhor.

    Vou citar como exemplo a Linha Esmeralda, poderiam exigir da empresa vencedora a obrigação de construir a extensão até Parelheiros, bairro que carece e muito de transporte publico de boa qualidade, demanda tem e muito.
    E antes que o Sr.Ivo, venha com aquela frase apocalíptica que ” com essa obra, milhões de paulistanos no dia seguinte ficariam sem água”, pois afetaria os manaciais, já lhe adianto a resposta: Proteção ambiental se resolve com uma fiscalização eficiente, punindo responsáveis por agressões ao meio ambiente e não privando transporte de qualidade à população.

    • Não se consegue proteger os mananciais e, ao mesmo tempo, facilitar o transporte e a invasão deles.

      O futuro de 7 milhões de pessoas (a maior parte da população paulistana) está sendo comprometido por menos de 900 mil pessoas que ocupam irregularmente a parte mais crítica da área de proteção de mananciais (Pedreira, Grajaú, Cidade Dutra e Parelheiros), promovendo diariamente a destruição deles.

      • na verdade boa parte da populaçao paulistana recebe agua do sistema cantareira.

        entendo que o governo deveria ser mais rigoroso nessa questao. a regiao já foi denunciada, tem muito grileiro. gente que vende terreno sem ter posse do mesmo. o que deveria por parte tanto da prefeitura quanto do governo do estado seria um amplo projeto de urbanizaçao da regiao e coibindo durante invasoes de areas de manaciais. inclusive das casas de alto padrao que tem em volta da represa. mas entendo que o trem é necessario. a falta de trem na regiao nao impede e nao impediu o adensamento desorganizado e ilegal das areas de manancial.

      • A por que você tem tanta certeza que não é possível? Com bom planejamento e engajamento por parte das autoridades é possível sim, desenvolvimento sustentável é uma realidade.

  • Então os sorocabanos da estrada de ferro Sorocabana foram muito guerreiros, se empresário entra em negócio se for de vó pra neto, então como os empresários da Sorocabana conseguiram?

Publicidade

Assuntos

Anúncios