Foto: Fly2Blue
Greve

Greve no Metrô de SP: metroviários ameaçam parar no dia 4

Em uma nova promessa, os metroviários de São Paulo ameaçam paralisar as atividades, desta vez com data marcada: dia 4 de março, quarta-feira.

A classe trabalhadora quer uma nova proposta de PR, além de novas condições de periculosidade dos trabalhadores das Oficinas de Pintura e Escada Rolante. Os sindicalistas dizem que foi retirado o pagamento da Periculosidade dos trabalhadores dessas áreas.

A entidade ainda é contra a terceirização de postos de trabalhos em bilheterias e devem apoiar atos contra a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM.

Uma assembleia que será realizada no dia 3 deve dar rumos às manifestações. Caso a greve seja realizada, as Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata serão afetadas.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Agora ta explicado porque a escada rolante do Metro Tatuapé esta quase sempre quebrada, eles fazem boicote contra o povo tentando atingir o Estado, privatização já, o Metro tem que ser todo privatizado, a linha amarela e perfeita, tem muitos seguranças e tudo funciona, já a linha vermelha, as vezes tem um segurança próximo as catracas e so, fora a quantidade de mendigos que fica nas passarelas, serviço publico no Brasil não funciona, os funcionários públicos acham que trabalham para o Rei, e não para o povo.

    • Deixa de falar asneira. Políticos podem ter aumento de salário todo semestre, agora quem trabalha não pode receber aumento? Tem parar TUDO MESMO. E mais, esse negócio de empresa privada não fazer greve, vai mudar muito em breve. Se a empresa não valorizar os funcionários, que fazem a “máquina girar”, logo sentirão o qual importante os trabalhadores são. Em breve Linha 5-Lilás e 4-Amarela, vão parar devidos aos baixos salários. Aguardem.

  • Mais uma prova que evidencia porque as estatais precisam acabar em São Paulo, e no Brasil. Essa espécie nojenta de egocêntricos estatais ineficientes está com os dias contados.
    Quem mais sofre é o cidadão pagador de impostos, afinal se querem protestar de forma útil, por quê não liberar as catracas?

    • Podem estar com oa dias contados. Mas os funcionários privados não serão feitos de bobos por empresas privadas. Quem trabalha merece fazer greve toda vez que o empregador não valorizar o funcionário. Não sei se é o caso do Metrô estatal, mas nas empresas privadas os funcionários são superexplorados e recebem muito mal.

    • Greve é direito constitucional, amigo, essas estatais que vc reclama é que constroem as linhas de metrô que vc usa e empresa privada nenhuma ia investir em linhas de metrô pra você. Quanto a catraca livre concordo plenamente, greve de transporte público deveria ser assim. Pena que a lei não permita

  • Engraçado que entra ano e sai ano, e sempre eles inventam que o Metrô retira alguma coisa, e ficam reclamando, está cheio de pessoas querendo uma vaga no funcionalismo publico e os que estão lá sempre querendo mais e mais, como se o estado estivesse com dinheiro sobrando. E Bruno não comenta coisas sem saber, vai ficar de greve em empresa privada pra ver o que acontece, o sindicato finge não ver, e no dia seguinte e mandado embora, isso e em todo lugar.

    • Que embasamento você usa para dizer que estão inventando, é fácil dizer quando a corda não quebra pro seu lado. Sobre greve, é um direito constitucional, que todo trabalhador desse país, deve usar para que as empresas não achem que seus funcionários devem temer suas imposições. Funcionário com cabeça baixa é a alegria dos patrões.

  • A população deveria aprender com os Metroviários, sempre que confrontados pelos patrões, deveriam parar. Todo mundo receberia um salário mais digno.

Publicidade

Assuntos

Anúncios