EMTU

Estado estaria estudando prorrogação de concessão da Metra em troca do BRT do ABC

O Governo do Estado estaria estudando ampliar os contratos de concessão de operadoras do transporte público para em troca construir o corredor de ônibus do tipo BRT, substitutivo à Linha 18-Bronze. A informação conta no relatório “Plano de Negócios EMTU 2020” e trata do chamado BRT Metropolitano ABC.

O documento menciona que a proposta inicial de investimentos elaborada pela EMTU/SP para 2020 previa a
solicitação de recursos na Ação Orçamentária 2616, para contratação dos Projetos e Desapropriações para implantação do BRT.

No entanto, a Proposta Orçamentária 2020, da Secretaria da Fazenda e Planejamento, encaminhado à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, não contemplou recursos orçamentários do Tesouro do Estado para o corredor de ônibus proposto.

A apresentação menciona que foi instituído um grupo de trabalho visando à viabilização da execução
do empreendimento por meio de parcerias com investimentos da iniciativa privada. O documento diz que há estudos para prorrogação de Concessão da Metra, atual operadora do corredor São Mateus – Jabaquara e Diadema – Brooklin, além de operadores das áreas 01, 02, 03 e 04. As “informações deverão ser apuradas e preenchidas pelo Grupo Técnico de apoio aos trabalhos que estão sendo desenvolvidos”, diz o documento.

O chamado BRT Metropolitano ABC Paulista, interligará Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul às Estações Tamanduateí (Linha 2-Verde do Metrô e Linha 10-Turquesa da CPTM) e Sacomã (Linha 2- Verde do Metrô) em São Paulo.

Trata-se de uma alternativa ao monotrilho da Linha 18-Bronze, projeto descartado pela atual gestão do governador João Doria por conta dos custos.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • existe uma opção melhor: Não construir. Não gasta nada e deixa em aberto para outro governante com visão a longo prazo construir metrô.

    tomara que não saia nada ou pelo menos desistam desse projeto descabido!

    Não queremos que SP vire um BRT Rio 2

    • Tomara mesmo que não saia Renato, vai ser algo terrível se essa porcaria for implantada.

      O problema que estamos no Brasil, e quando ha alguma obra com interesses “nefastos” por trás ela sai rapidinho.

  • Pois é.

    Isso somente confirma o peso político dessa decisão. Lembrando que um dos grande mentores da campanha de João Dória foi o Prefeito de São Bernardo do Campo, Sr. Orlando Morando. A cidade anteriormente mencionada é a que comportaria boa parte do trecho do Monotrilho. Porém, a família Setti Braga é a responsável por gerir o Corredor ABD, da Metra, além de ser a responsável pela concessão das linhas de ônibus municipais de São Bernardo do Campo (cidade esta que teve a licitação para as linhas de ônibus suspensas duas vezes pois o Tribunal de Contas, ante o fato da licitação ter sido feita em lote único, podendo dificultar a participação de outras empresas). Os fatos são públicos e podem ser vistos de forma clara em buscas pelos principais jornais.

    Por óbvio, com isso não estou alegando que exista qualquer falcatrua (o que infelizmente pode ocorrer), mas sim que o tal “critério técnico” não existe, havendo apenas um critério de favores políticos. Lamentável…

Publicidade

Anúncios