Foto: Renato Lobo
CPTM

Renovação da frota na Linha 10-Turquesa aumentou oferta de lugares, diz CPTM

Com a recente realocação de 12 trens da série 7000 para a Linha 10-Turquesa, a oferta de lugares aumentou cerca de 8,5%, segundo a própria Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM. A informação consta em uma nota enviada ao site Repórter Diário sobre problemas com as composições semi-novas.

“Os trens modernos têm 52 bancos a mais do que os antigos da série 2100. O número de bancos preferenciais é igual. A oferta total de lugares aumentou em 8,5% por viagem com a entrada dos trens modernos. Além disso, os trens da série 7000 contam com itens de acessibilidade, como sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, espaço para cadeirantes”, disse a operadora.

A reportagem aponta que alguns passageiros não gostaram da troca. Os usuários da ferrovia que liga o Brás até Rio Grande da Serra dizem que as composições novas ao pararem nas plataformas, apresentam um vão maior que as antigas. Dizem também que os assentos são menores do que os da série 2100.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    • Luan,

      Você tem razão, pois isto desmente as explicações oficiais sem fundamento de que o motivo eram os trens cargueiros serem mais largos, visto que eles são os mesmos, pois enquanto existiam as composições Budd que trafegavam de Francisco Morato até Paranapiacaba até a década de 90 não as possuíam, e ainda existem composições desta para se comprovar esta afirmação.

      Quem deve especificar e fiscalizar a largura das carruagens deveria ser o licitador e não o fabricante.

      *A norma que dispõe da acessibilidade e ergonomia em trens urbanos é a NBR-14021 da ABNT, e no item: 5.6.4 – Vão e desnível entre o trem e a plataforma 10 cm no máximo (horizontal) e 8 cm no máximo de desnível (vertical), porém ela é omissa com relação ao comprimento máximo do estribo.

Publicidade

Assuntos

Anúncios