TAV

Os 10 trens-bala mais rápidos do mundo

Os trens de alta velocidades são serviços rápidos e em algumas partes do planeta, competitivos com os serviços da aviação. Mas como que o trem que anda em velocidades menores, pode oferecer um serviço mais rápido que os avições? Um trem-bala pode trafegar a velocidades acima de 300 km/h enquanto que as aeronaves podem chegar a mais de 900 km/h.

Isso se dá pela facilidade e menor burocracia que os serviços ferroviários oferecem. Quem anda de avião sabe que antes de entrar de fatos nas aeronaves, é preciso todo aquele tramite de imigração, raio x, que são essenciais para manter a segurança no setor.

Confira os 10 sistemas mais rápidos do mundo:

1 – Transrapid de Xangai

Em um percurso de 30 km de extensão, ligando o Aeroporto Internacional de Pudong à estação de metrô de Longyang Road, o Trem Magleveste, de levitação magnética, atinge velocidade máxima comercial de 430 km/h e faz o percurso em apenas sete minutos.

O trem pode atingir uma velocidade de 350 km/h em apenas 2 minutos. Durante um teste em 2003, o trem atingiu a velocidade máxima de 501 km/h. O Xangai Transrapid custou 10 bilhões de yuan (1,33 bilhões de dólares) e demorou 2,5 anos para ser concluída tendo 30,5 km de extensão.

2 – China Railway CRH380A

O CRH380A é um trem chinês de alta velocidade que foi desenvolvido pela atual CRRC, uma famosa fabricante chinesa, que inclusive fabricou os trens da série 3000 da SuperVia, e que está produzindo a série 2500 da CPTM. Em testes, um trem com 16 carros chegou a 486,1 km/h

Mas, após um grave acidente ocorrido em 2011 em Wenzhou, todas as quatro séries de trem tiveram suas velocidades de operação reduzidas para 300 km/h.

3 – Trem bala do Japão

Os já velozes trens-bala do Japão devem ficar ainda mais rápidos. A East Japan Railway, mais conhecida como JR East, iniciou na última sexta-feira, testes com o chamado Alfa-X, que terá a capacidade de atingir até 400 quilômetros por hora.

O comboio deve entrar em operação em 2030, mas até lá deve levar passageiros em até 360 km/h. Para tanto, foi necessário alongar a ponta do primeiro carro em um nariz “mais longo e elegante”, medindo 22 metros.

4 – ICE 3, Alemanha

A linha InterCity Express (ICE3) corre entre Franfkurt e Colônia, no Vale do Reno, e entre Munique e Nuremberg, na Bavária, com nove linhas que atingem velocidades de até 320 km/h.

O InterCityExpress, conhecido pela sigla ICE são trens de alta velocidade, construídos pela Siemens AG e Associados.

5 – TVG na França

Um dos primeiros trens de alta velocidade do mundo, a primeira versão desta unidade começou a operar em 1981. Hoje, os TGV POS operam em duas linhas, no leste e no oeste da França, com velocidades que atingem 320 km/h em operações normais e até 575 km/h em testes.

6 – Series 103, Espanha

O trem bala espanhol liga Madri a Barcelona em 2h40, atingindo 310 km/h durante a viagem. Nas últimas décadas, a Espanha passou da fama de ter um dos piores transportes ferroviários da Europa para uma rede moderna de trens de alta velocidade que une as grandes cidades do país.

7 – Sancheon KTX2, Coreia do Sul

O trem de alta velocidade Sancheon KTX2 liga Seul e as cidades portuárias de Musan e Mokpo. Construídos pela Hyundai-Rotem, os trens operam a velocidades de até 305 km/h , com a capacidade de chegar a 350 km/h.

8 – ETR 500 Frecciarossa e ETR 575 AGV, Itália

A Itália conta com dois serviços de trens de alta velocidade: o Frecciarossa (Flecha Vermelha), um serviço público, e o Automotrice à Grande Vitesse (AGV), operado pelo setor privado. Os trens conectam Turim, Milão, Roma, Nápoles e Veneza a velocidades máximas de 300 km/h, com recordes de 340 km/h para o Frecciarossa e 360 km/h para o AGV.

9 – THSR 700T, Taiwan

Esses trens percorrem o litoral oeste da ilha entre a capital, Taipei, e a cidade industrial de Kaohsiung. Fabricados no Japão, as composições THSR 700 T operam a velocidades de até 305 km/h.

10 – Eurostar Class 373, Inglaterra, França e Bélgica

O trem Eurostar interliga Londres e Paris, pelo Eurotunel, abaixo do Canal da Mancha. O trem opera a velocidades máximas de 300 km/h.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Muito legal vídeo, adorei.

    Sei que aqui no Brasil é praticamente impossível atingirmos esse nível, mas creio que seja uma obrigação de qualquer governante voltar com os trens de passageiros.
    Em SP por exemplo, para fazer um trecho curto entre São Paulo e Campinas parece que estão fazendo a oitava maravilha do mundo, sendo que não tiveram nem capacidade levar até Americana como no projeto original.
    O que mais lamento é até na década de 90 tínhamos trem por várias regiões do estado, mas cometeram o crime de sucatear toda malha para tirar os trens de cena e enfim realizar o “sonho” de beneficiar as empresas de ônibus e encher as rodovias com os mesmo.

    Enfim, que tal vídeo sirva de exemplo aos governantes, que por hora insistem dar passos para trás, vide o BRT do Dória.

  • Mão gosto desse tipo de matéria, na Europa por exemplo um trem bala você vai de uma cidade a outra, só tirando uma soneca de no máximo 2 horas, e olha o estado do Brasil, que mal tem trem de passageiros, que seria o minimo, triste.

  • Renato, sobre a Itália, AGV é o nome do modelo do trem, fabricado pela Alstom. O serviço privado chama Italo, da empresa NTV. A NTV também opera o pendolino EVO no mesmo serviço. Já o Frecciarossa 500 é o serviço antigo, atualmente em trajetos “secundários” como Torino × Venezia. O mais moderno da ferrovia do estado (Trenitalia) atualmente é o Frecciarossa 1000. A velocidade operacional é a mesma, mas o Frecciarossa 1000 tem sistema de tração mais moderno com aproveitamento de todos os vagões, vs. o FR 500 q tem locomotiva+vagões.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!