Monotrilho da Linha 15-Prata tem trecho paralisado nesta quinta-feira (10)

O monotrilho da Linha 15-Prata está fechado no trecho entre Oratório e Vila União nesta quinta-feira, 10 de janeiro.

De acordo com o Metrô, por volta das 19h30 uma falha no Sistema de Controle de Trens fechou as estações São Lucas, Camilo Hadad, Vila Tolstoi e Vila União.

Segundo ainda a companhia, ônibus gratuitos cobrirão o percurso do trecho interrompido.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

5 Comentários deste post

  1. Ontem estava no Monotrilho no horário que teve o problema citado na matéria, e não havia nenhum ônibus realizando o percurso do trecho que estava paralisado.

    Rui Fernandes / Responder
    • Rui Fernandes, sabe o que eu fiz? Parei na lanchonete ai ao lado da Ibitirama tomei umas brejas até o transito se acalmar e ir para casa de 4222 mesmo xD

      Tiago / (em resposta a Rui Fernandes) Responder
  2. Aconteceu por volta das 18 quando um dos trens parou na estação Camilo Haddad. O trem não abria as portas, até que um passageiro acionou a abertura dem emergência de uma das portas.

    Phylipe / Responder
  3. Teve sim, mas demorou pra passar o ônibus do Paese.

    Ederson Casemiro da Silva / Responder
  4. Nenhum ônibus estava cobrindo o percurso (gratuito), sendo que os ônibus (pagos) estavam lotados e os pontos também, além do que estava chovendo para ajudar e muita gente, como eu, estavam despreparados (dinheiro e guarda-chuvas) ou seja, peguei um ônibus até a estação Camilo Hadade, pois foi o único que consegui entrar, e depois tive que ir andando até a estação Vila União. Tinha um monte de guardas do metrô na plataforma e nenhum deles se quer tocou no assunto, enfim, perdi meu compromisso, minha irmã teve que deixar o serviço para pegar minha filha na Babá e cheguei em casa quase 21:00 hrs.
    Precisam urgente de um plano de contingência nesses casos, já que pagamos (e caro) temos o direito de no mínimo sermos respeitados.

    Att.

    Rodrigo / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.