8 fatos curiosos sobre o Monotrilho da Linha 15-Prata

Neste post falamos sobre 8 fatos curiosos do Monotrilho da Linha 15-Prata, em operação na cidade de São Paulo. Confira o 22º vídeo no canal do Via Trolebus no Youtube:

Post escrito:

1 – Monotrilho de maior capacidade do mundo

A Linha 15-Prata tem capacidade de transportar até até 48 mil usuários por hora/sentido. O monotrilho da zona leste foi projetado para transportar até 550 mil passageiros em sua extensão completa, da Vila Prudente até a Cidade Tiradentes. Vale lembrar que atualmente as obras vão apenas da estação Vila União até o Jardim Colonial, uma parada depois de São mateus. O trecho seguinte não tem prazo de construções.

2 – tecnologia da aviação

A fabricante dos monotrilhos é a Bombardier, empresa que produz além de trens e VLTs, aviões. A fabricante usou alumínio para a fabricação dos trens, ao contrário de aço inox, como é usado frequentemente em trens e metrôs. O uso do alumínio reduziu o peso destes trens em 30%.

3 – Licitação de 1992

Para acelerar o processo de implantação do sistema monotrilho, o governo paulista utilizou-se de uma licitação antiga (datada de 1992) de construção da Linha 2 do Metrô entre a Vila Prudente e o Oratório.

Na época, o monotrilho era chamado de linha 2-verde, e a extensão da Linha 2-verde entre Vila Prudente e Guarulhos, era chamada de linha 15-Branca. Em 2012, o metrô alterou as nomenclaturas para as atuais.

4 – Trem partiu de portas abertas

Em outubro de 2016, um monotrilho partiu da estação Oratório com as portas abertas. Vale lembrar que o trem corre a uma altura de 15 metros do solo. A fabricante disse na época que implantou uma nova versão do sistema de controle de portas que elimina este tipo de falha em todos os trens do monotrilho. Até então não houve mais falhas desse tipo. Ainda bem!

5 – primeiro trem foi testado no Canada

O primeiro modelo foi fabricado na cidade de Kingston, no Canadá, onde a Bombardier tem pistas de testes para os monotrilhos. O restante foi fabricado n fábrica da empresa em Hortolândia, a 105 quilômetros de São Paulo. Inicialmente foram previstos 54 trens, mas o metrô ficou apenas em 27 , já que o projeto por hora é apenas entre Vila Prudente e jardim Colonial. Estes trens podem chegar até 90 km/h.

6 – Extensão até estação Ipiranga

Além da extensão projetada até Cidade Tiradentes, existe projeto de levar a Linha 15-Prata até a estação Ipiranga, na Linha 10-Turquesa da CPTM.

O motivo seria aliviar a estação Vila Prudente, uma vez que a parada deve receber toda a população que mora em torno de Sapopemba e São Mateus, como uma forma de dividir o fluxo de passageiros que vão do bairro em direção ao centro e da Avenida Paulista. O trecho entre Vila Prudente e Ipiranga possui 1,8 quilômetro de extensão. Não existe prazo para a construção.

7 – rachaduras em pilar

Em março deste ano, imperfeições que seriam rachaduras apareceram em um dos pilares que sustentam a viga trilho do monotrilho. O fato causou estranheza e até assuntou alguns moradores. Mas segundo o metrô, seria apenas “desgaste na película de verniz que com a água da chuva e o acúmulo de agentes poluentes provocam o escurecimento naquele ponto”.

8 – Não foi o primeiro monotrilho a operar no Brasil

Antes deste monotrilho, outros dois levaram passageiros. Um em Poços de Caldas, em Minas Gerais, mas que após descarrilar e deixar pessoas presas, e vigas trilhos caírem em rio, deixou de operar. O outro é em um shopping do Rio de Janeiro, mas que se tornou deficitário.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.