Supervia

Mais de 60% admitiram que são imprudentes no embarque na SuperVia

A SuperVia, operadora dos trens urbanos do Rio de Janeiro encomendou uma pesquisa sobre o embarque dos passageiros, e seus possíveis riscos. O estudo deve nortear campanhas de conscientização.

De acordo com o estudo feito em seis estações da concessionária (Central do Brasil, São Cristóvão, Deodoro, Madureira, Gramacho e Duque de Caxias), 66% dos passageiros admitiram que correm ou que já correram para embarcar em trens partindo das estações, em vez de aguardar a próxima composição.

Deste montante, 22% relataram que fizeram isto por estar atrasado (a). Quase todos (96%) afirmam que estão cientes dos riscos de acidentes, mas não abrem mão do hábito, mesmo já tendo sofrido alguns sustos. Cerca de 20% já passou por algum incidente após cometer as infrações.

Existe uma perigosa cultura de desrespeito às normas de segurança, que precisa ser discutida e extinta, em nome da segurança de todos. Estamos tentando mostrar para os passageiros, de forma clara e impactante, que ninguém está imune a acidentes que podem, infelizmente, culminar em mortes ou em graves danos à saúde das pessoas. Esta campanha vai contar com publicidade na imprensa, banners e ações interativas surpresas nas estações e na internet”, explicou José Carlos Prober, presidente da SuperVia.

Comportamento em grupo

A pesquisa ainda revela que este tipo de comportamento é fortemente influenciado pelo grupo além da necessidade que os passageiros têm em viajar sentados. O levantamento mostrou que os que conseguem sentar ficam com um sentimento de vitória. Já a sensação de quem espera mais alguns minutos na plataforma é de perda de tempo.

Por que as pessoas empurram no metrô? :

Durante o processo de entrevistas, algumas ideias foram recorrentes, como: “Sempre corri e nunca tive problemas”, “Seguro a porta para tentar ajudar quem ainda não embarcou”, “Estou atrasado (a) e preciso ir neste trem de qualquer maneira”, “Sei como fazer isto, tenho capacidade física e nada vai dar errado”.

A operadora mantém em dia as sinalizações de segurança, como a faixa amarela nas plataformas e os sinais sonoros e luminosos que indicam o fechamento das portas. Além disso, a empresa veicula avisos em seu sistema de áudio nos trens e estações. Os agentes de controle da concessionária também atuam orientando os passageiros sobre os bons hábitos, necessários para a segurança de todos.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Publicidade

Assuntos

Cadastre-se em nossa newsletter!

Linkedin – A Máquina de Empregos

Cursinho para Enem

Cadastre-se em nossa newsletter!