Metrô SP Monotrilho

Linha 15: 5 estações para março e 3 para maio

O governador Geraldo Alckmin participou nesta terça-feira (20/02) da primeira viagem de trem para vistoria no novo trecho da Linha 15-Prata do Metrô. Foram inspecionados 5,5 km de vias do monotrilho entre as estações Oratório e Vila União.

 

De acordo com o cronograma de obras, cinco novas estações – São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União e Jardim Planalto – e mais 6,5 km de via elevada serão entregues à população em visita assistida neste mês de março. Já em maio está prevista a entregue das estações Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus e mais 3,6 km de vias.

 

A Linha 15, implantada em um projeto moderno e arrojado, é o primeiro monotrilho de alta capacidade de transporte do Brasil e vai conectar as regiões leste e sudeste a toda a rede de trilhos de São Paulo. Em operação desde 2014, entre Vila Prudente e Oratório, o ramal permite integração gratuita com a Linha 2-Verde e proporciona o acesso a uma rede de 339 km de trilhos, em 22 municípios, cobrando uma única tarifa. Quando pronto, o trecho de Oratório a São Mateus atenderá a 400 mil pessoas por dia.

 

O monotrilho possui características diferentes do metrô convencional. Suas estações são elevadas (em média, a 15 metros do solo) e com arquitetura leve que se integra a paisagem do local. Os trens são operados de modo totalmente automático e trafegam sobre vigas de concreto elevadas. Cada composição possui sete carros e capacidade para transportar mil passageiros por viagem.

 

As estações da Linha 15 – Prata apresentam soluções estéticas em concreto aparente e aço com grandes vedações em vidro, garantindo aos espaços públicos plena ventilação e iluminação natural. As plataformas são centrais, com 90m de comprimento e 9,90m de largura para acomodar as duas vias operacionais, possuem cobertura com estrutura metálica em arco, passarelas de emergência nas extremidades, sistema de portas automáticas para embarque/desembarque em toda sua extensão, escadas rolantes, escadas fixas, elevadores e bicicletários. Os acessos das estações situam-se em ambos os lados da avenida Prof. Luiz Ignácio Anhaia Mello. Todas as estações adotam conceitos de reurbanização e de paisagismo que integram a paisagem do entorno aos elementos arquitetônicos, possibilitando a melhoria da qualidade dos espaços públicos através da integração com outros modais – andar a pé, ciclovia e ônibus – gerando conforto ambiental e beleza, de forma a garantir áreas de convívio “estar” e áreas verdes entre os acessos das estações e o sistema viário adjacente.

 

Fonte: Assesoria Governo de SP

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios