CPTM

Cresce número de viagens canceladas na CPTM

O índice de partidas de composições nas seis linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM quase dobraram em um período de cinco anos. É o que diz um levantamento do jornal “Folha de São Paulo“.

Os dados apontam que as partidas não realizadas cresceram de 4,3% do total, em 2010, para 7,9% em 2015. O número de viagens programas neste período também cresceu, de 769 mil para 933 mil, sobretudo pela aquisição de novos trens, e ao mesmo tempo a quantidade de viagens descumpridas aumentou proporcionalmente de 33 mil, em 2010, para 74 mil, no ano passado.

A companhia atribui o fato às obras de modernização a partir de 2011, elevando os intervalos em período de menor movimento.

Dentre este cenário, a Linha 7-Rubi [Luz-Francisco Morato-Jundiaí] é a que apresenta a maior taxa de cancelamentos de partidas. Em 2015 cerca de 15,5% das partidas deixaram de ser feitas. Em 2010, esse índice era de 5,5%.

Já a melhor situação é na Linha 8-Diamante [Julio Prestes-Itapevi-Amador Bueno]. Em 2010 o índice de cancelamento estava em 5,1%, e no ano passado foi de apenas 0,4%.

Mas, as outras quatro linhas da CPTM seguem com aumento no número de partidas canceladas. Confira:

Linha 9-Esmeralda [Osasco-Grajaú]: 2010: 3,8% – 2015: 6,1%;
Linha 10-Turquesa [Brás-Rio Grande da Serra]: 2010: 5% – 2015: 11,1%;
Linha 11-Coral [Luz-Guaianases-Estudantes]: 2010: 3,1% – 2015: 6,6%;
Linha 12-Safira [Brás-Calmon Viana]: 2010: 4,4% – 2015: 8,9%;

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios