Foto: Nirley Sena
VLT

Justiça barra parte das obras do VLT da Baixada Santista

Foto: Nirley Sena
Foto: Nirley Sena

Parte das obras do VLT da baixada Santista foi paralisada após uma decisão judicial, com a concessão de uma liminar do Ministério Público. O MP diz que o trajeto inicial do VLT restringia-se à área da antiga linha férrea.

Porém, atualmente após o canal 1 os trilhos desviam para o canteiro central da Avenida Francisco Glicério, por onde percorre até a Avenida Conselheiro Nébias.

“A alteração de um traçado urbano, por alguns metros que sejam, saindo de onde havia o planejamento inicial, pode vir a provocar alteração no meio ambiente” – diz o desembargador Ruy Alberto Leme Cavalheiro, relator do processo na 1ª Câmara Reservada ao Meio Ambiente, do TJ-SP.

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), responsável pelas obras, deve entrar com recurso até a próxima semana. Segundo a EMTU, no trecho Barreiros-Porto, até o momento, estão concluídos 95% das obras em São Vicente e 60% em Santos.

A previsão é de que até o final deste mês comece a Operação Precursora, sem cobrança de tarifa, num trajeto que ainda será definido.

Com as informações de A tribuna

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios