CPTM Metrô SP

Secretário Jurandir Fernandes fala ao Via Trolebus sobre prazos das obras do Metrô

Nesta terça-feira (5) o Secretário de Transportes Metropolitanos Jurandir Fernandes conversou com o portal Via Trolebus sobre temas da mobilidade urbana. Na ocasião o titular da pasta falou sobre assuntos abrangentes como o novo plano diretor, faixa exclusiva, passe livre e também sobre as expansões do sistema metroferroviário e seus respectivos prazos:

Renato Lobo: O sistema metro-ferroviário beira os quase oito milhões de passageiros transportados por dia. À medida que a rede cresce, chegarão novos usuários. Como o Metrô e a CPTM estão se preparando para este aporte de novos de usuários?

Jurandir Fernandes: O sistema atingiu 8 milhões de usuário em alguns dias…hoje o regime é entre 7,5 milhões…certamente em 2015 entraremos e um regime de 8 milhões de usuários. Haverá uma distribuição melhor de passageiros. Por exemplo, quando tiver a linha 2 cruzando a Penha, haverá uma redistribuição dos passageiros que vão para a paulista…é muito parecido com vasos comunicantes. Estamos fazendo 9 obras metroferroviarias ao mesmo tempo. Nos anos 20 teremos uma região metropolitana melhor.

Renato Lobo: Durante os jogos da Copa do Mundo que aconteceram em São Paulo, foi criado o Expresso da Copa, que foi muito elogiado por nossos leitores. Existem planos para operações semelhantes?

Jurandir Fernandes: Duas coisas que agradaram na copa: O Expresso da Copa, porem não existe uma motivação para mantermos o serviço, ao menos que possa ter alguma situação como uma partida com grande público. Outra coisa é sobre o sistema bilíngue (avisos em inglês no metrô). O Metrô esta analisando se mantem o aviso em outra língua, por que isso pode cansar o usuário que usa o sistema todos os dias.

Os aviso das próximas estações foram retirados das composições nas últimas semanas após o mundial de futebol.

Renato Lobo: Um dos problemas na mobilidade é a moradia longe dos postos de trabalho. Recentemente foi aprovada a revisão do plano diretor na prefeitura de SP. Qual a sua avaliação sobre esta questão?

Jurandir Fernandes: Gostei do plano diretor e acho que esta no caminho. Alguns críticos dizem que o Metrô vai lotar mais. Não é bem assim, não estamos falando apenas de corredores de metrô e sim de corredores de ônibus…se o plano diminuir os movimentos pendulares é ganho social, bom para a sociedade inteira. O meu maior exemplo é o conjunto nacional. La dentro você tem emprego, lazer, musica, cinema, é aquilo que você tem que ter. Achei corajosa a ação do prefeito Fernando Haddad.

thecityfix

Renato Lobo: Qual é a sua opinião/avaliação sobre as faixas exclusivas de ônibus?

Jurandir Fernandes: precisa ter espaço para o transporte coletivo. Talvez tenha chocado a velocidade da operação. É preciso coragem e persistência, mas é preciso ter mais dialogo. A mesma coisa da ciclovia, tem que fazer. O conceito é importante. Estou torcendo para que de certo.

Expansão e prazos

Renato Lobo: Existe alguma previsão para inicio das obras da extensão da Linha 2-Verde?

Jurandir Fernandes: abrimos os envelopes. Foram 23 consórcios interessados. Já temos o ganhador de cada lote. Estamos analisando todos os documentos. Nossa expectativa é que assinamos os contratos em setembro. Assinado o contrato, tem todo o trabalho das empresas para registro em juntas. Portanto uma obra dessa deve ter inicio em março. A obra esta contratada inteira da Vila Prudente até a Dutra, no entorno do shopping internacional.

O secretário pegou gancho na linha 2 e falou sobre os outros prazos das futuras linhas. Jurandir Fernandes disse que até o final deste anos serão contratados e, somados as construções existentes, totalizarão 104,5 km de obras, sendo: 15,5 km da Linha 2 verde da Vila Prudente até a Dutra e mais a extensão operacional oeste. 1,5 km da fase 2 da Linha 4-amarela até a Vila Sonia. Linha 5-Lilás até a Chácara klabin com 11,5 km. Linha 15-Prata entre Ipiranga e Hospital Cidade Tiradentes com 26,7 km. Linha 17-Ouro entre Jabaquara e São Paulo-Morumbi com 17,7 km, linha 18-Bronze que liga Tamanduateí até São Bernardo do Campo e por último a linha 6-Laranja entre Brasilândia e São Joaquim.

Sobre os prazos, o secretário disse que destas 7 linhas, a última a ser entregue será a linha 6, em 2020, conforme contrato de concessão assinado com a empresa que vai construir e operar o ramal. Porem parte da linha poderá ser entregue em 2018, entre a zona norte e Água Branca.

A expectativa do secretário é que os demais ramais citados acima sejam entregues até 2018: “A linha 5 vai ficar pronta inteira em 2016…a linha 15 também será em 2016” – disse o titular da pasta.

Renato Lobo: Falando agora sobre a Linha 15- Prata, já existe alguma previsão para entrega das estações do trecho entre Oratório e Vila Prudente?

Jurandir Fernandes: Era final do ano (sobre a inauguração), depois 25 de Janeiro, Fevereiro, Março…os trens estão operando a 45 e 50 km/h, já chegou a 80 km/h que é a velocidade limite e agora estamos fazendo a chamada operação branca…para que o Metrô passe a operar precisamos ter o certificado de garantia, e um sistemas desses precisa de no minimo de 300 horas para homologação…provavelmente este certificado pode sair entre dia 18 e 22 de agosto.

De acordo ainda com o secretário após esta fase, no final de setembro, a linha deverá operar “full time”. Também esta previsto para setembro a ligação da nova estação Vila Prudente com o Metrô.

tumblr_n47itncbbe1rvzfuxo5_1280 (1)

Renato Lobo: Além dos projetos das Linhas 15, 17 e 18, existem novos projetos de monotrilho?

Jurandir Fernandes: O contrato da linha 18 sera assinado até o final de agosto. Por enquanto não há previsão de novas linhas de monotrilho.

Renato Lobo: Qual é a previsão de entrega da Linha 13- Jade?

Jurandir Fernandes: Sonhamos tanto com ela para 2014, mas só em 2015. É uma das linhas que mais eu vi na minha vida a burocracia não funcionada.

Neste momento, Jurandir Fernandes conta que pelo fato do ramal ligar duas cidades, cruzar o rio Tiete, rodovias e beirar o aeroporto, foi preciso muitas licenças por diferentes órgãos governamentais, explicando assim o atraso na construção do ramal.

Renato Lobo: Qual é a previsão de entrega para extensão da Linha 9-Esmeralda?

Jurandir Fernandes: primeiro semestre de 2015.

Renato Lobo: Qual é a previsão da entrega da obra do VLT que ligará a cidade de Santos a São Vicente?

Jurandir Fernandes: a segunda composição chega em setembro e ate o final do ano 4 composições. Houve um atraso por causa de uma liminar do ministério publico santista que questionou o traçado da linha. De qualquer maneira a partir de março de 2015 queremos estar operando comercialmente.

Governador Geraldo Alckmin durante cerimonia para Apresentação do 1º VLT do Estado de São Paulo

 

O Secretário também contou que na baixada haverá uma PPP para escolher uma empresa que tomara conta do sistema de ônibus administrado pela EMTU, e que a linha de VLT também ficará a cargo desta empresa, e por consequência fará parte do mesmo sistema.

Renato Lobo: Já existe previsão para o início das obras dos trens regionais?

Jurandir Fernandes: este é o projeto mais importante do futuro governo…jogamos na lata do lixo 5 anos por fatos como a prefeitura de Campinas que só queria o TAV (Trem bala). Quando Geraldo Alckmin assumiu, a nossa proposta era fazer um trem regional complementar ao TAV. Apareceu um grupo que topou pegar tudo, só que o projeto deles não era o mesmo do nosso. Então estamos com uma equipe financiada pela banco mundial que faz estudos de contabilidade para construir a linha ao lado do leito ferroviário, já que a proposta e usar o espaço operacional. Estamos na fase de assinatura do conveio com órgãos de Brasília, já que parte do leito ferroviário é da união. Na semana passada fizemos a minuta com 15 protocolos de intenção com 15 municípios que abrigaram a linha.

Sobre prazos, o secretário quer lançar o edital do trem regional ainda em 2014. Jurandir Fernandes afirma que em 4 anos a linha poderá ser concluída entre São Paulo e Americana, uma vez que deverão ser usados 96% das áreas existentes e apenas 4% de despropriações.

Renato Lobo: As linhas 19 e 20 voltaram a ser pensadas como obras?

Jurandir Fernandes: Sobre a linha 20 (Lapa-Moema) apareceu uma proposta do setor privador, porem achamos muito caro a proposta da desapropriação. Pedimos revisão desta linha e esfriamos um pouco. Há outras prioridades, como o trem regional. No caso da 19 (Tancredo Neves – Campo belo), podemos atingir o coração de guarulhos com a linha 2-verde, da Dutra até o centro da cidade. Não precisaremos esperar até 2030.

Renato Lobo: Qual sua opinião sobre a reivindicação do passe livre para o transporte coletivo?

Jurandir Fernandes: É de uma ingenuidade. Tenho uma filha de 17 anos que é apaixonada pelo movimento, e eu sou apaixonado por ela. É um pouco de demagogia. Uma ideologia burguesa muita pequena. Acho que existem outras situações que antecedem como a água livre, a tomada livre ou o prato livre. Já se tentou em Bolonha nos anos 60 e foi uma loucura. A china tentou e parou logo. Tudo tem sua relação de esforço. Analisando e acompanhado estes casos, o motorista de carro não migrou para o transporte publico. Quem aderiu foi o jovem, que largou a bicicleta. Esta havendo uma grande decepção.

Manifestação MPL -  JF DIORIO-ESTADÃO CONTEÚDO

Renato Lobo: Qual é a sua opinião sobre a nova lei que poderá criar a divisão entre mulheres e homens nos carros do Metrô e da CPTM? (o “vagão rosa”).

Jurandir Fernandes: percebemos que o tipo de pesquisa induziu algum tipo de valor de adesão.  Em um primeiro momento as mulheres querem o vagão rosa. Quando a questão é discutida a fundo temos uma inversão. Nem entramos na questão da operacionalidade, que seria um desastre. Cerca 52% dos usuários são mulheres, ou seja, daria confusão. Não nos agrada. Esperamos que a sociedade discuta com mais calma.

vagao-rosa

Renato Lobo: Qual sua opinião sobre a interatividade dos usuários no sistema metro-ferroviário? O senhor não teme que a divulgação de tantas informações pode ampliar a percepção das falhas pontuais do sistema?

Jurandir Fernandes: a primeira vez que vi isso fique doido. Sergio Avelleda (ex-presidente do Metrô entre 2011 e 2012 e da CPTM entre 2006 e 2010) fez com que quebrasse este preconceito. As pessoas que fazem as criticas querem a melhoria e querem o bem. Temos que fazer destas pessoas, nossos aliados. Não sabemos ainda lidar melhor com este tipo de interação. Cada vez mais temos que aproveitar essa criatividade para aprimorar a comunicação.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios