Trólebus

Consórcio Via Aérea deve assumir manutenção da rede elétrica dos trólebus em SP

Um novo consórcio deve assumir a manutenção e troca de grande parte da rede elétrica do sistema trólebus na cidade de São Paulo. Conforme falamos aqui no blog, a Façon decretou falência, e de acordo com edital de licitação, a segunda colocada na concorrência entrará em jogo: Trata-se do consórcio formado por duas empresas, entre elas a Tejofran.

O “Via Aérea” deve trocar cerca de 300 km de fios. O primeiro trecho que passou por reforma foi no Terminal Metropolitano São Mateus até a Avenida Rio das Pedras, na zona leste, considerado o mais problemático da cidade, com cerca de 18 km de cabeamento suspenso (ida e volta). As três linhas que passam pelo local (2290, 2291 e 342M) transportam cerca de 1 milhão de passageiros por mês. O trabalho começou em abril.

A Rede elétrica foi sempre apontada como o maior entrave do sistema trólebus, com quedas frequentes que sempre acabam por prejudicar o usuário.

Por Renato Lobo 

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Cadastre-se em nossa newsletter!

Cadastre-se em nossa newsletter!