CPTM

CPTM quer saber por que não foi acionado dispositivo de segurança dos trens

Acidente na Linha 7-Rubi, que liga a capital paulista a Jundiaí. Segundo a CPTM, o trem que seguia no sentido Luz bateu no outro que estava parado aguardando a sinalização para seguir viagem. “É uma composição de centenas de toneladas e o impacto, por menor que seja, é significativo e houve danos físicos às pessoas que estavam no seu interior”, contou o tenente-coronel Ferraz, comandante do 2º grupamento do Corpo de Bombeiros, em entrevista ao G1
Uma jovem de 23 anos foi levada para o Hospital das Clínicas em estado grave. Os outros passageiros receberam os primeiros atendimentos na estação. A linha chegou a ficar interrompida entre as estações Lapa e Luz. Depois, passou a operar, com intervalos maiores, por uma linha auxiliar. Pouco antes das 17h, os trens foram rebocados e a operação voltou ao normal.
A CPTM diz que, na hora do acidente, cerca que 600 passageiros estavam nos dois trens e, assim que a plataforma foi liberada, os peritos começaram os trabalhos. Eles querem descobrir por que o sistema de segurança que evita colisões não funcionou.
“Existe um mecanismo de segurança eletrônico dentro das composições e no próprio sistema de sinalização das vias para evitar a proximidade dos trens. O que nós estamos fazendo agora é apurando para verificar de onde veio a falha de um trem que veio a colidir com outro”, diz o gerente de relacionamento da CPTM, Sérgio de Carvalho Júnior.



Renato Lobo é Técnico em Transporte Sobre Pneus e Transito Urbano.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios