Exposição destaca avanços da acessibilidade no transporte em São Paulo

 

A SPTrans organiza, nesta Semana da Mobilidade, a exposição Possível para Todos, que mostra a importância do transporte acessível à população de uma cidade como São Paulo. Veículos do Atende, um táxi adaptado e um ônibus acessível estarão expostos no Pateo do Collegio, no Centro, entre terça e quinta-feira, dias 19 e 21 de setembro.

 

Além de mostrar na prática quais as opções de transporte estão disponíveis na cidade, serão expostas em um painel informações sobre a acessibilidade no transporte público municipal e a importância deste aspecto de inclusão na vida de quem tem a mobilidade reduzida, como idosos e pessoas com deficiência.

 

Dona do maior sistema de transporte público do mundo, São Paulo conta, atualmente, com uma frota de 14.440 ônibus, dos quais 13.215 são acessíveis por meio de elevadores ou piso baixo, o que representa 91,52% do total. Todo veículo novo que é integrado à frota da cidade tem que contar obrigatoriamente com acessibilidade, o que garante que, em pouco tempo, a frota será 100% acessível.

 

Além dos ônibus especialmente preparados para todos os cidadãos, a cidade conta com um Serviço exclusivo para pessoas com deficiência, o Atende. Trata-se de uma modalidade de transporte porta a porta a pessoas com deficiência física com alto grau de severidade de dependência. Autistas e surdocegos também podem contar com as 407 vans e 100 táxis adaptados que operam neste sistema, considerado referência em termos de transporte acessível e detentor de vários prêmios na área, o que evidencia a importância e o reconhecimento da qualidade do serviço.

 

Serviço

                    

Exposição Possível para Todos

Endereço: Pateo do Collegio

Data: entre terça e quinta-feira, dias 19, 20 e 21 de setembro

Horário: entre 10h e 16h


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

2 Comentários deste post

  1. Apesar de pequenos problemas, são Paulo faz bastante pela autonomia e independência das pessoas com deficiência. não esperem a mesma coisa em todos os outros estados.

    por outro lado, falta muito para São Paulo chegar ao gral máximo de maturidade!

    Espero que continuemos no caminho.

    Leonardo Gleison / Responder
  2. Acho que o maior problema de SP é que começou MUITO errado e agora consertar leva tempo e muito dinheiro.

    A frota ainda não é 100% adaptada e acho isso um cúmulo por ser a maior cidade e se orgulhar de ser “a mais rica” do país. Acredito que nos próximos anos isso se resolva só pela renovação da frota (quando o santo edital descer dos céus).

    Estava vendo uma reportagem do Bom Dia SP que mostrava as dificuldades para pessoas com deficiência visual e pensei em algo simples que já ajudaria a essa parte da população: nos novos totens de pontos de ônibus (com abrigo ou não) poderia ter um botão que acenderia uma lâmpada no totem indicando que há uma pessoa com dificuldade visual naquele ponto, sendo assim os ônibus seriam obrigados a parar para verificar se a pessoa irá aquela linha ou não, uma vez que ela não poderá ver qual ônibus está vindo se estiver no ponto sozinha. Ao invés do botão poderia ser um validador de bilhete único onde a lâmpada só acenderia ser fosse aproximado um BU Especial… Não sei, algo do tipo.

    Também não sei se alguém já pensou em alternativas, mas esse tipo de situação demonstra que ainda há bastante a melhorar na questão de autonomia de pessoas com deficiência em SP.

    O.Juliano / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*