CPTM

Presidente da CPTM fala sobre embarque da Linha 10-Turquesa no Brás

Desde o dia 5 de agosto, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, alterou o embarque e desembarque da Linha 10-Turquesa na estação Brás, sendo que o acesso aos trens passou a funcionar apenas na plataforma 1. Ou seja, embarque e desembarque pela mesma plataforma, o que tem irritado alguns passageiros.

Mas, de acordo com o presidente da Companhia, Pedro Moro, a mudança já está bem equacionada, e houve ganho de tempo na operação dos trens.

“A principio como qualquer mudança, no início gera transtorno ou questionamento por parte de quem utiliza. Mas hoje pelo nossos dados está totalmente equacionado, a operação está funcionando. A gente não fez essa operação simplesmente por achar mais simpático. Ela tem um objetivo. De imediato a gente tem um ganho de cerca de um minuto e meio na operação dos trens para fazerem a volta para o outro sentido. Isso permitiu a gente ganhar no total junto com a troca dos trens na linha 10, quase 10% no tempo de viagem.”, disse Moro, durante visita de sites e blogs de mobilidade às obras da estação Francisco Morato.

Pedro disse ainda que a capacidade de carregamento da Linha 10 aumentou cerca de 12%.

Plataforma 2 e um novo serviço

Moro ainda falou sobre o uso da plataforma 2, que acabou ficando inutilizada com a mudança. “Não tem destino definido. Vai ter um destino operacional com certeza. Ela será utilizada.”, afirmou o presidente da CPTM.

Rumores nas redes sociais apontaram que um serviço expresso seria implantado na via central da Linha 7-Rubi e que partiria do Brás. A informação, no entanto, foi descartada pelo presidente da empresa, Pedro Moro, em um encontro com sites e blogs especializados em transportes, no qual o Via Trolebus participou. Moro disse que não havia previsão de implantação desse serviço.

Uma outra alternativa seria a extensão do Expresso Linha 10 até o Brás. Atualmente o atendimento funciona no horário de pico entre Tamanduateí e a estação Prefeito Celso Daniel – Santo André, também pela via central, sem que tenha alterações no serviço parador.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Esse povo da CPTM pensa apenas no que é conveniente para eles e só aparecem com soluções medíocres e atrasadas para os problemas. Para o usuário esse embarque não ficou nada conveniente, ganha minutinhos de viagem, mas entre sair de uma linha e embarcar no trem, há o risco maior de perdê-lo, aumentando mais ainda o tempo de viagem, sem falar no sobe e desce e na muvuca. Os caras só enxergam o umbigo local, não os transtornos da rede como um todo, gestores incapazes.

  • Tratando da operação da CPTM entre as linhas 10 (que serve ABC até o Bras) e linha 7, da Luz a Jundiai. Antigamente era uma unica linha, passando pelo centro de SP e por questões de limitação operacional foi fracionada, deixando um vazio entre Bras e Luz. Hoje há um cenario muito favoravel a volta do modelo antigo, pois entre outros aspectos a frota foi renovada e padronizada. A CPTM alega que a Luz não suportaria, mas é um grande erro, pois pelo contrario, se deixar de ser estação terminal e virar estação de passagem, continuaria a prestar serviço. A grande vantagem seria para o trecho, hoje morto, entre Luz e Bras, que passaria de fato a servir a população, aliviando a estação Bras (que voces já mostraram) e principalmente o Metro (L.3) entre B.Funda e Bras. Não fazer isto é um grande desperdicio de infra estrutura e a perda de grande oportunidade para elevar o serviço metropolitano. Um looping operacional nos horarios de pico poderia ser naturalmente implantado. Isto junto com a operação da linha 11 até Barra Funda é claro! (cade o projeto “Integração Centro”, desenvolvido nos anos 90?

  • Creio que a população do ABC deveria estar mais preocupada em reivindicar a volta da Linha-10 Turquesa para a Estação da Luz de onde nunca deveria ter saído, com a reforma das Estações Mooca, e criação da Estação Bom Retiro que economicamente é mais fácil de se realizar, e beneficiaria um nº maior de usuários inclusive de outras linhas.

    Causa-me estranheza e perplexidade as incursões de Dória e agora este Rodrigo Garcia pelo ABC, a caça de apoios com mais um festival de promessas pré-eleitorais que não cumpridas, lembrando que o PSDB está no poder em SP á no mínimo 25 anos, e é o partido destes atuais prefeitos que aparecem em foto recente, durante este período desde a criação da CPTM, a região só teve perdas, como:

    Desativação da estação Pirelli, Fim dos trens regulares para Santos, para Paranapiacaba, para Francisco Morato, Barra Funda, trem expresso Mauá Luz, transbordo obrigatório no Brás com as linhas lotadas da CPTM.

    Como pode alguém afirmar que a solução para especificação do modal para a Linha 18-Bronze seria técnica sabendo que o local previsto para seu trajeto é um fundo de vale, sujeitos a enchentes frequentes como o córrego dos Meninos / Rio Tamanduateí em março deste ano.

    Mais algumas inumeráveis promessas não cumpridas; Linha 14-Onix, Santo André Guarulhos (Cumbica), e este Aerotrem transformado em BRT da Linha 18-Bronze, e agora mais esta Linha 20-Rosa Rudge Ramos Lapa, implantação do CTBC, um sistema que permite diminuir a frequência e aumentar a segurança na Linha 10–Turquesa, o qual está encaixotado nos galpões da CPTM há quase dez anos. Digo que é necessário retomar isso não só pela qualidade do sistema uma vez que os trens espanhóis que eram os mais antigos do sistema já foram substituídos por mais modernos.

    Consta do próprio blog da CPTM (Já do ano de 2013) de que a linha 10-Turquesa que hoje está subutilizada, pois é a única que possui três linhas, algo que nenhuma outra tem e possuía mais passageiros, mesmo ainda não tendo entrado em operação os monotrilhos da Linha 18-Bronze, e Linha 15-Prata operando parcialmente, e com a Estação do Ipiranga próxima a receber como terminais as Linhas 2-Verde , e 15-Prata.

    Agora para tentar remediar transferiram alguns trens “novos” de 10 anos de uso, cujas carruagens possuem um vão superior com relação ás plataformas, para dar uma justificativa para aqueles prefeitos e vereadores bajuladores tirarem uma fotografia junto ao governador sorrindo para tentar iludir novamente os eleitores incautos para as próximas eleições!!!

    Com uma possível volta da ligação Campinas, Jundiaí, Francisco Morato até S.Paulo, com os trens suburbanos, o local ideal para instalação da nova estação terminal S.Paulo dos passageiros procedentes da linha 7-Rubi, seria entre a estação da Luz e a estação Júlio Prestes (antiga Sorocabana) da CPTM, no local do antigo moinho que foi transformado em favela (Bom Retiro) e parcialmente demolido recentemente após incêndio, e que possui grande facilidade de infra estrutura pois os trilhos de ambas estações passam paralelas e a modificações poderiam ser feitas com baixo custo, e são tecnicamente possíveis.

    Que incentivo é este ao uso de transporte público em que se tem de fazer múltiplas baldeações, assim como hoje esta acontecendo com os ônibus procedentes do ABC que tem que fazer no terminal Sacomã, assim como o fim dos trens regulares para a Luz para prosseguir até o centro de S.P !?

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!