Fepasa Santos-Samaritá. Ano de 1988 | Foto: Thomas Corrêa
Especial de férias Recordar é viver

A operação inusitada do trem entre SP e o litoral: vagões trocavam de composições

A ferrovia Santos-Juquiá, anteriormente conhecido como Ramal de Juquiá, foi inaugurada em 1915, sendo de bitola métrica (1 000 mm), que liga o Porto de Santos, com a cidade de Juquiá, passando por Itanhaém e Peruíbe. Em 1986, foi construída pela Fepasa a Extensão Juquiá-Cajati, prolongando a linha em 70 km, passando por Registro e chegando a Cajati.

Durante o século passado, havia o trânsito de trens entre a Barra Funda em direção a Juquiá. A operação dos trens era de uma forma inusitada: Em Samaritá, São Vicente, havia quatro conexões diárias, com o trem que vinha da Estação Barra Funda, quando vagões que vinham com a composição da Barra Funda eram transferidos para a composição que ia para Juquiá.

Foto: Jornal Bem-Te-Vi

Década de 60 com grande movimento

Havia uma linha diária de trens de passageiros, saindo da Estação Ana Costa, em Santos e indo até Juquiá. Esta linha funcionou até 1997. Na Década de 1960, o fluxo era grande o suficiente pra haver 7 viagens partindo de Santos para Juquiá todo dia.

Sem movimento

A Rumo Logística declarou publicamente em meados de 2018 que estudos técnicos demonstraram que a reativação da Linha seria deficitária e causaria prejuízo. Assim, o representante da Rumo declarou que o Contrato de Concessão da Ferrovia seria quebrado trecho seria devolvido ao Governo Federal do Brasil, o que ocorreu em 2020, com a assinatura do contrato de prorrogação da concessão da Malha Paulista com a Rumo Logística até o ano 2058.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios