Recordar é viver

Trens urbanos já operaram até Parelheiros e Marsilac em São Paulo

A linha 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, atende ao extremo sul de São Paulo, até o bairro do Grajaú, e está sendo expandida até Varginha, em um processo de extensão que já se arrasta por anos após uma série de adiamentos.

Mas o atendimento ferroviário por meio de trens urbanos  já foi operado até o bairro de São Paulo que fica mais perto do litoral do que o centro da capital: Marsilac, na estação Evangelista de Souza, passando pela antiga parada Parelheiros.

Em 1957, a estação passou a ser o ponto de entroncamento do ramal de Jurubatuba, aberto pela Estrada de Ferro Sorocabana, para ligar diretamente a Estação Júlio Prestes, no centro da cidade de São Paulo à ferrovia Mairinque-Santos. Se na atualidade os trens fizessem esse percurso, entre o centro de São Paulo e o litoral, utilizariam os trilhos das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda na cidade de São Paulo.

Antiga estação Evangelista de Souza

As composições de passageiros vindo de Mairinque foram suprimidas por volta de 1973, onde foi mantido apenas um trem para os funcionários da Fepasa. A partir de então, a estação passou a ser mais parte do ramal de Jurubatuba, recebendo os trens de subúrbio até cerca de 1979. Ainda na década de 1980, foi instituído novamente pela Fepasa o transporte de passageiros no ramal Mairinque-Santos, mas fazendo apenas o trecho entre Embu-Guaçu e Santos.

Já o antigo chamado ramal Sul da Fepasa, entrou em obras de remodelação a partir de 1974, e os serviços de subúrbio da linha foram interrompidos em 1979, sendo retomados em 4 de abril de 1981, quando foi retomado sua operação a partir da Estação Osasco, ao invés da Júlio Prestes. O ramal reformulado atendia apenas as estações Osasco, Presidente Altino, Ceasa, Jaguaré, Cidade Universitária e Pinheiros. A partir de Pinheiros, apenas o transporte de carga seguia sendo feito em direção a Evangelista de Souza.

Volta descartada pela CPTM

Com a chegada da Linha 9-Esmeralda em Varginha, muito se especula sobre a ida do atendimento ferroviário até o distrito de Parelheiros. O projeto já foi amplamente discutido, inclusive com direito a promessas eleitorais, mas o que depender da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, o trem não deve chegar no bairro.

A declaração sobre a supressão do projeto foi dada pelo presidente da Companhia, Pedro Moro, durante uma visita às obras da futura estação Mendes Vila Natal, em 2020.

Moro disse que foram feitos estudos, mas que pelo tipo de atendimento recomenda-se a instalação de um corredor de ônibus. A região conta com uma área de 153 km² e uma população de 202.321 habitantes.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Aquele mapa da figura até onde eu sei nunca existiu na prática. Deve ser de algum projeto descartado da CPTM/Fepasa. Quando as estações de Cidade Jardim a Granja Julieta e Socorro foram construídas, as paradas entre Colônia e Casa Grande já haviam sido desativadas.

  • é a falta de vontade de ajudar a população daquela região porque uma linha de trem seria de grande ajuda para a população da região
    mas como é tudo politica para eles não a interesse

Publicidade

Anúncios