Foto: Renato Lobo | Via Trolebus
Monotrilho

Metrô altera previsão de demanda diária do monotrilho da Linha 17-Ouro

A previsão de demanda do monotrilho da Linha 17-Ouro foi alterada. O Relatório de Empreendimentos datado no mês de Agosto de 2020 prevê um atendimento de 171.150 passageiros por dia, considerando o cenário em 2022. O mesmo dado era descrito nos relatórios dos meses anteriores. Mas, na página de Expansão e Obras no site do Metrô, a demanda é maior, na ordem de 185.000 usuários por dia útil.

De 171 mil para 185 mil, o número ainda é baixo para o eixo de transporte que em sua primeira fase terá 7,7 quilômetros de extensão e 8 estações, ligando a estação Morumbi na Marginal Pinheiros, até o Aeroporto de Congonhas.

O volume é menor, por exemplo, que alguns corredores de ônibus da cidade. O eixo Itapecerica – João Dias é um corredor de ônibus que liga os distritos de Campo Limpo, Capão Redondo e Jardim São Luís ao distrito de Santo Amaro. Sua extensão total é de 8 km e é compreendido pela Estrada de Itapecerica, Avenida João Dias e Ponte João Dias. É usado por cerca de 280 mil passageiros por dia, de acordo com dados de 2017.

Foto: Renato Lobo | Via Trolebus

Mais usuários com extensão da linha

A Linha 17 poderá ter mais uso a partir das próximas fases, como a segunda que deve ligar a futura estação Jardim Aeroporto até a estação Jabaquara, e ainda uma terceira fase, entre a estação Morumbi até a São Paulo-Morumbi, passando por Paraisópolis.

Os projetos, no entanto, não possuem prazo para início das obras. Na verdade, nem o eixo prioritário de 7,7 quilômetros, que foi previsto para operar em 2022, tem agora uma data certa de conclusão.

Foto: Renato Lobo

Entenda a “novela” da Linha 17

Anunciada para a copa de 2014, o monotrilho da Avenida Roberto Marinho teve o início de suas operações inicialmente prometido para 2013, passou para 2014, depois para 2016, final de 2017, 2018, final de 2019, dezembro de 2020 e, atualmente, não há mais prazo.

As obras foram iniciadas em 2012, e interrompidas em outubro de 2015 e, em 18 de janeiro seguinte, o contrato foi rompido. Em 21 de junho de 2016, no entanto, após aproximadamente nove meses de paralisação, as obras da linha foram retomadas, com previsão de início das operações em 2018.

Na última semana, a justiça liberou o contrato de fabricação de 14 trens, e o Metrô ordenou que a BYD inicie a produção em 1º de outubro de 2020. O processo estava parado por contestação na justiça da primeira colocada na concorrência, mas que acabou sendo desclassificada.

Já no sábado, 26 de setembro de 2020, a operadora publicou oficialmente que a proposta comercial da construtora Coesa Engenharia Ltda foi classificada na licitação para a conclusão dos trabalhos. Serão finalizadas as vias, além das estações Congonhas, Brooklin Paulista, Jardim Aeroporto, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e o pátio Água Espraiada. Este outro contrato também estava suspenso e sub judice.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios