EMTU

Viações do ABC recebem nota baixa em avaliação da EMTU. Operadora de trólebus é bem avaliada.

Das dez concessionárias e permissionárias de ônibus que atuam em três regiões metropolitanas do estado de São Paulo – São Paulo, Campinas e Baixada Santista – que receberam as piores notas em uma pesquisa encomendada pela EMTU, oito atendem no ABC. De 0 a 10, essas oito viações receberam notas que variam de 2,33 a 4,83 do Índice de Qualidade do Transporte (IQT). O IQT foi divulgado nessa sexta-feira (27), em São Bernardo do Campo, no ABC.


O índice, que está em sua sétima edição, premia as melhores empresas de transporte. O indicador leva em conta a opinião dos usuários, as condições dos veículos frota, e as questões operacionais, como o cumprimento de horários. A vencedora do IQT 2010 foi a Metra, operadora do corredor de Trólebus do ABD. Para o presidente da EMTU, Joaquim Lopes, a idade média da frota do ABC é um dos fatores que contribuiu para que as empresas da região estivessem entre as que receberam as piores notas. Enquanto na capital a idade média da frota é, segundo ele, de 3,5 anos, no ABC os ônibus têm uma idade média de 7 anos: “A idade média da frota do ABC está mais alta que nas outras regiões. Mas a frota é apenas um indicador. Outro, por exemplo, é o indicador de operação, e isso é um problema de cidades conurbadas das regiões metropolitanas, como os atrasos. Com o aumento das frotas das cidades, nossos ônibus estão parados no meio dos congestionamentos”, explicou. “O contrato das permissionárias é de 1986 e já não dá conta de algumas nuances”, disse. Segundo Joaquim, esse contrato limita à EMTU a cobrança de melhorias. Além disso, as multas aplicadas em caso de descumprimento de cláusulas são mais baixas.


Metodologia


Segundo a EMTU, 39 permissionárias e concessionárias de linhas intermunicipais São Paulo foram avaliadas no IQT. Essas empresas operam cerca de 800 linhas com 5,4 mil ônibus, que transportam uma média de 55 milhões de passageiros por mês.


O IQT é formado por três índices – Índice de Qualidade Econômico-Financeira; Índice de Qualidade da Frota; e Índice de Qualidade Operacional.
Os ônibus são avaliados em dois momentos: nas garagens, quando são monitorados 439 itens, e no ponto de ônibus, onde se avalia o cumprimento de horário, a limpeza dos veículos, a situação dos assentos, placas de informação, etc.


Para avaliar a satisfação dos usuários, foram feitos 19600 questionários – 14500 apenas na região metropolitana de São Paulo. O atributo que melhor avançou, segundo os passageiros, foi a segurança nos pontos de ônibus. Por outro lado, o número de acidentes aumentou. Em São Paulo, foram 126 atropelamentos em 2010, ante 98 em 2009 – alta de 28,5. Já o número de acidentes com vítimas envolvendo ônibus subiu 14%, de 242 para 272. A EMTU já constituiu um grupo de trabalho para analisar os dados. O objetivo é fazer campanhas, bem como o treinamento dos motoristas.

Com as informações de G1

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios