Conheça o Desafio Mobilidade Itaú-Cebrap 2018

O Desafio Mobilidade Itaú-Cebrap 2018 tem o objetivo de fomentar a produção de conhecimento sobre mobilidade por bicicleta no Brasil.

 

O programa apoiará a produção de cinco artigos acadêmicos inéditos sobre o tema “A bicicleta na mobilidade urbana”. Serão selecionados 5 pesquisadores com propostas de estudos que serão desenvolvidos em seis meses.

 

Os selecionados receberão o valor total de R$ 10.000 [dez mil reais] e participarão de cursos e oficinas em métodos e técnicas de pesquisa, grupos de discussão e encontros de orientação para elaboração do trabalho. Ao final do processo, os cinco artigos irão compor uma publicação, editada por Itaú e Cebrap.

 

O Desafio Mobilidade Itaú-Cebrap 2018 é de abrangência nacional e os selecionados devem dedicar pelo menos 12h semanais ao projeto de agosto de 2018 a janeiro de 2019.

 

Inscrições até 08 de julho de 2018.

 

Para mais detalhes, veja o edital: Regulamento Desafio 2018

Leia também: Termo de Compromisso – Desafio Mobilidade Itau-Cebrap 2018


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

6 Comentários deste post

  1. O Itaú podia também contribuir na prática para uma mobilidade mais abrangente e democrática com a volta dos aluguéis gratuitos das bicicletas. Acho que os estudos valem a pena, mas investir em estudos andando na contramão do próprio projeto, é um tanto quanto contraditório.

    O.Juliano / Responder
    • Concordo, ao cobrar assinatura de planos pro uso do bike sampa, o itaú rema contra a mobilidade ativa.

      Fabio / (em resposta a O.Juliano) Responder
    • Se fosse de graça, o vandalismo iria inviabilizar o projeto em 3 meses.

      Ivo / (em resposta a O.Juliano) Responder
      • Ivo, sempre foi viável cobrando após a primeira hora de uso (foi assim de 2012 a 2017), sem contar a publicidade ambulante que o usuário acaba fazendo ao itau, somar a cobrança da hora de uso a planos (diário, mensal,anual…) não é para viabilizar o que já dá diversos retornos, é exploração do usuário.

        Fabio / (em resposta a Ivo) Responder
  2. Transformaram o compartilhamento em aluguel de bicicletas.

    Fabio / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*