Doria diz que não irá voltar atrás de aumento na tarifa

O prefeito de São Paulo, João Doria, disse nesta quinta, 4, em entrevista a Rádio Eldorado que vai manter o preço da tarifa dos ônibus municipais a R$ 4 a partir do próximo domingo, 7, mesmo com a manifestação do Movimento Passe Livre agendada para o dia 11. Em 2013, o prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckmin voltaram atrás depois de diversas manifestações. Naquela época o aumento também foi de R$ 0,20.

“Não vejo perspectivas de profunda adesão (a protestos), sobretudo na população mais sensível e que compreende que esses 20 centavos, além de facilitarem o troco, representam 30% abaixo da inflação acumulada em dois anos”. Se a correção fosse aplicada, o preço da passagem subiria para R$ 4,14.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

11 Comentários deste post

  1. Kkk começando bem com o lance de diálogo dele… Cara se n vai n precisa ficar antecipando dando entrevista, assim provoca quem estava em dúvida e trás mais gente pra manifestação, e poucos se sensibilizam como ele diz, talvez só o felix e algum outro seguidor do partido

    Alexandre i /
  2. Jurandir/Felix já já aparecem pra lamber os bagos do prefake

    Gapre /
  3. Que população que entende isso? Só se for de outra São Paulo, pois na que eu moro…..

    Doria, você calado fica melhor, não pega onibus, então não tem que dar pitaco em nada.

    Renato /
  4. Acho o valor da tarifa unitária um falso problema, quem usa o transporte todo dia e usa o bilhete mensal sofreu com o aumento de tarifa no ano passado, a mesma coisa pra quem utiliza a integração. Em várias metrópoles o valor da tarifa unitária é alto, mas exite integração gratuita entre os diferentes modos (trem, metrô, ônibus…) e o bilhete temporal tem um bom desconto.
    Não há entre as metrópoles do Brasil qualquer sombra de política tarifária, pois o nosso modelo baseado em ônibus sempre dominado por máfias. A Folha de S. Paulo fez uma excelente reportagem sobre como é arrecadado o dinheiro vivo usado para pagar propinas, no caso do Rio de Janeiro o dinheiro vinha das empresas de ônibus, justamente por causa da arrecadação em dinheiro vivo.
    Um dos objetivos do desconto nos bilhetes temporais é otimizar o processo de arrecadação do sistema, no Brasil traria o benefício de atrapalhar a lavagem de dinheiro. Elevar um pouco mais o valor da tarifa unitária e reduzir o preço da integração e bilhetes temporais (em valores reais mesmo, não só relativos) incentivaria muito mais a utilização do transporte coletivo.

    rafael oliveira /
  5. Melhor argumento: “(…)além de facilitarem o troco(…)”

    O.Juliano /
  6. É sério que ele disse que um dos motivos do aumento é para facilitar o troco?! Que nojo desse cara, o prefeito mais fora da realidade que a cidade já teve.

    Alex /
  7. O Haddad sempre será o pior prefeito que São Paulo já teve e foi um cagão para aqueles baderneiros ridículos do MPL que nem ônibus usam porque são uns mongoloides filhinhos de papai, não tem mesmo que voltar atrás e se vandalizarem a cidade, que sejam duramente reprimidos e paguem pelos danos!

    Celso Jorge Aguiar Amaro /
  8. Não vai voltar atrás pq os protestos não vão ter adesão?
    Então eu vou no protesto!

    tiago /

Deixe uma resposta