Prefeitura quer placas de SP para carros que circulam ao menos 20 dias na cidade

A Prefeitura de São Paulo quer que carros que, circulem ao menos 20 dias por mês na capital, tenham placas da cidade. A medida visa arrecadar mais com IPVA.

 

De acordo com o prefeito, será intensificada a fiscalização para identificar os veículos nessa situação. “Estamos utilizando, principalmente, o sistema das câmeras. As câmeras estão permitindo essa identificação de veículos que circulam por mais de 20 dias sequencialmente na capital. Já funcionou. Nesses primeiros 30 dias, o sistema já mostrou eficiência”, afirmou Doria.

 

A expctativa é arrecadar R$ 250 milhões a mais nos 12 primeiros meses.

 

“Os dados são fornecidos para secretaria da Fazenda do estado e do município, e a própria divulgação disso ajuda e impede que, sobretudo locadoras de veículos, utilizem veículos comprados em outros municípios para serem utilizados aqui na capital”, completou o prefeito.

 

Doria disse que, primeiramente, as locadoras de veículos serão advertidas e depois autuadas. Não está claro se a mesma regra valerá para as pessoas físicas.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

4 Comentários deste post

  1. Se for só para as locadoras está certo.

    Mauri / Responder
  2. Está correto, sábado circulando na região do Tucuruvi em pouco espaço vi dois carros com placas de Belo Horizonte.Não é justo o camarada usufruir de sua cidade e pagar impostos para outra.

    Felix / Responder
  3. Isto é uma prática bem comum, já tive que pegar duas vezes carros alugados, e em ambas os carros tinha placas de BH. Neste caso caso das locadoras de carros eu concordo com esta medida.

    MC / Responder
  4. Teria que na verdade revisar a legislação de documentação e impostos automotivos. Pelo visto, isso significa que o IPVA está ultrapassado e não está servindo como o devido.

    Um veículo comum recolhe anualmente IPVA, licenciamento e seguro. Licenciamento e IPVA são respectivamente a taxa de operação e imposto de propriedade do veículo.

    A legislação acaba permitindo esta condição que a prefeitura sofre hoje: devido ao alto imposto cobrado de IPVA, e na questão da “briga fiscal”, quem trabalha com grandes frotas acaba jogando as placas em endereços em outros locais no Brasil. Não só locadoras, mas empresas de serviço e que tenham frotas fazem este tipo de tática.

    Lembremos de algumas coisas também:

    – Está para ser instituída a nova placa veicular (padrão Mercosul). E a mesma trabalha na lógica igual a anterior – é registrada por município / Estado. Isso impede medidas que possam por exemplo, criar um sistema de “Placas de circulação local”, assim a pessoa não perderia a placa anterior, mas recolheria os impostos na cidade de sua circulação.

    – Mudar a placa para a capital requer que a pessoa tenha endereço na cidade. Há pessoas que só estão de passagem à trabalho ou visita, ou são veículos de fretamento e serviço de transportes.

    O ideal é que a legislação defina quem deveria ter a placa modificada, assim aplicando a lei ao país inteiro. Locadores e grandes frotistas podem usar a lei também para se defender, modificando seus pontos de estacionamento e retirada para cidades lindeiras à São Paulo.

    Uma ideia seria modificar o licenciamento para que o pagamento seja revertido à cidade de circulação. Isso pode ajudar.

    Anonimato / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*