Alckmin entra na Justiça para evitar greve do Metrô

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, entrou com um pedido de liminar na Justiça nesta terça, 14, para evitar que haja greve dos metoviários nesta quarta. O pedido vale também para evitar a greve de professores da rede estadual.

 

“Não tem razão paralisar um sistema de metrô que transporta 5 milhões de passageiros porque é contra e quer mudar a reforma da Previdência. Pode fazê-lo, mas não dessa forma”, disse o governador. “Entramos com pedido de liminar e seremos duríssimos no sentido de cumprimento da decisão judicial”, afirmou.

 

“Em relação à reforma da Previdência, está em discussão, pode ser aperfeiçoada, rejeitado ou aprovada. O que não tem sentido é o aluno não estudar por causa disso, o trabalhador não poder usar o transporte coletivo”, comentou.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

4 Comentários deste post

  1. Eu só espero que qualquer coisa que seja levada a frente sobre a reforma da previdência seja feita com absoluta inteligência e reflexão. O país está do jeito que está devido a burrice literal do povo brasileiro que se iludiu com o jeito esperto do PT de fazer política e nisso incluo até eu mesmo que hoje enxergo plenamente o quanto fui burro lá atrás quando cai no conto do almoço grátis ao viver dentro de uma bolha na sociedade que me impedia de enxergar a realidade por pura desinformação e desinteresse em política.

    A reforma da previdência é algo definitivamente seríssimo a ser tratado, mas se for levada apenas na burrice, populismo e ideologias militontas há sérias chances de destruirmos o futuro deste país que será cada vez mais dominado pela pobreza, injustiça social e violência. O sistema financeiro mundial de um planetinha com absurdos 7 bilhões de pessoas não se resume hoje a 2 + 2 = 4.

    Moises / Responder
  2. A greve é absurda. Só prejudica os trabalhadores e a população. Tanto é que o governo de SP conseguiu na Justiça a circulação de 100% dos trens no horário de pico. Basta agora que o sindicato, que está agindo por motivações político-partidárias, cumpra a decisão judicial.

    Welbi Maia Brito / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*