Câmara aprova funcionamento ampliado do metrô de BH

A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou um projeto de lei nesta ultima semana que propõe que o metrô da cidade tenha seu horário ampliado até a meia-noite. Hoje, o metrô da capital mineira funciona das 5h15 às 23h.

A medida segue agora para redação final na Comissão de Legislação e Justiça e, em seguida, os parlamentares terão cinco dias para apresentarem emendas ao texto final. A expectativa é que o projeto chegue na mesa do prefeito para sanção ou veto em fevereiro do próximo ano.

O metrô de Belo Horizonte possui 28,1 km atualmente e não há expansão de sua malha desde 2011.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

5 Comentários deste post

  1. Porque o metrô de minas e administrado ainda pela CBTU???
    Eles podiam fazer uma espécie de “CMTM”

    Fabiano / Responder
    • SP foi o único estado que aceitou o “presente ” do GF com a constituição de 1988. Aliás, SP vinha pedindo as linhas de trens metropolitanos muito antes de ser obrigação. O RJ aceitou engasgando e logo privatizou. Metrôs e trens metropolitanos são caros. Não é a construção que é difícil, mas manter o sistema. Vide VLT de Cuiabá.

      Narciso de Queiroz / (em resposta a Fabiano) Responder
    • Em Fortaleza o Metro é do Governo do Estado, bem como o VLT de Sobral. Mas nenhum desses sistemas leva o numero de passageiros por hora que o sistemas de Rio e SP transportam.

      Eduardo ALves / (em resposta a Fabiano) Responder
  2. O Estado de Minas Gerais está quebrado e nem quer administrar o Metrô BH e nem construir e operar diversas linhas de trens metropolitanos projetadas para aquela região.

    Celso Jorge Aguiar Amaro / Responder
  3. Estes sistemas podem ser construídos e mantidos pela iniciativa privada. É preciso pensar em alternativas viáveis com menor interferência do estado.

    beatriz sanhez portal / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*