Nova ferrovia liga Moscou a Berlim

Moscou e Berlim serão ligadas por uma nova linha ferroviária de passageiros. As duas capitais ficam cerca de 1.800 quilômetros de distância, uma da outra. Mas a partir do dia 17 de Dezembro, os primeiros trens farão o trajeto, inicialmente duas vezes por semana.

O sistema será operado pela Russian Railways, e deverá cruzar Varsóvia, na Polônia, e Minsk, capital da Bielorrússia.

Uma curiosidade é que os trens que devem operar no trecho, são capazes de rodar em trilhos com bitolas de 1520mm e 1435mm, por meio de um adaptador recém-construído ao longo do trajeto. O tempo de viagem de Moscou a Berlim será reduzidos em 4 horas 45 minutos, sendo em 20h14 min.

O material rodante foi projetado para operar até 200 km/h, e as composições são formadas por 20 vagões, sendo 17 para os passageiros, um restaurante e dois carros técnicos. São oferecidos primeira e segunda classe, além de vagões-dormitórios.

Vagão-dormitório

Vagão-dormitório


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

8 Comentários deste post

  1. Sonho no Brasil.

    Rodrigo Santos / Responder
  2. adaptador de bitola, que engenhoso

    haroldo / Responder
  3. E infelizmente aqui sofremos para conseguirmos um trem entre São Paulo e Campinas

    Andrew H B Piolli / Responder
  4. quase igual nossa ferrovia norte sul

    fabio / Responder
  5. Estes trens com bitola variável foram desenvolvidos pela espanhola Talgo. A empresa desenvolveu esta tecnologia por causa de seu país de origem contar com uma rede ferroviária de duas bitolas, a standard de 1435mm e a ibérica de 1668mm. O funcionamento deste sistema pode ser visto neste vídeo postado pela Talgo em seu canal no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=qwNl-g_91GE.

    A Russian Railways oferece outros trens que ligam Moscou a Europa central, sendo eles Moscou-Paris (via Berlim) e Moscou-Nice (via Vienna e Milão). Porém estes serviços utilizam vagões convencionais sem a tecnologia de bitola variável e eles tem que ser içados para a troca dos truques em Brest, fronteira entre Polônia e Belarus. Por curiosidade, graças a estas rotas para Moscou é possível sair de Lisboa e ir até Pequim ou mesmo até a Coréia do Norte utilizando apenas o modal ferroviário.

    L G / Responder
  6. 4 horas 45 minutos não corresponde com os 200 km/h. Não seria 14 horas 45 minutos?

    C H / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*