Malha de BRT deve aumentar 5 vezes no Brasil

Como opção mais barata aos sistemas sobre trilhos, porém com capacidade menor que as linhas metroviárias, caracterizadas como sistemas de media capacidade, os projetos de corredores do modelo BRT (Bus Rapid Transit) podem aumentar em 5 vezes no Brasil, de acordo com projeções da NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos.

Atualmente o país conta com 402,4 km em 24 cidades brasileiras, e nos próximos anos esta malha deve chegar aos 2.185 km. São cerca de 80 projetos previstos, com 1.782,7 km, sendo que 24 deles já estão em obras. Cabe lembrar que nem todos estes projetos possuem todas as características de um sistema BRT.

A maior malha é o Rio de Janeiro com 125 km. Só na região Nordeste, onde já existem sistemas em Recife (PE) e Aracajú (SE), estão programados mais 26, sendo na Bahia, em Alagoas, na Paraíba, no Rio Grande do Norte, no Maranhão e no Ceará.

A região com maior número de projetos de BRTs é a sudeste, onde são previstos 30 novos trechos. No Estado de São Paulo, Campinas terá um corredor com 32,2 km, Jundiaí (4,3 km), São José dos Campos (51 km), Sorocaba (51,8 km) e Praia Grande (38,8 km).

Em São Paulo, a nova gestão promete transformar os atuais corredores em BRTs e expandir novos por meio de Parcerias Público Privadas – PPP.

Com as informações de R7


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

9 Comentários deste post

  1. Espero que o da Radial Leste, anda esteja na pauta, ficarei triste, se não sair esse.

    Rodrigo Santos / Responder
  2. são tantas promessas não concretizadas, que não espero nada para São Paulo. Ultimo maluco que quase fez um BRT de verdade foi o Pita. descaracterizaram tanto que deu no que deu, transformaram num monotrilho que até hoje não serve para quase nada, ficou caro pra caramba e vai por ai.

    antonio carlos / Responder
  3. Gestão municipal do PSDB construir BRT´s? essa eu pago para ver….A dupla Serra/Kassab estiveram na prefeitura por 8 anos e o que entregaram de BRT´s? nada, só o ET, um projeto que nem deles eram, foi repaginado e apenas aproveitaram o esqueleto do antigo fura-fila…..

    Espero que tenham a decencia de pelo menos terminar ou iniciar as obras dos projetos deixados pela atual gestão, que não conseguiu fazer os 150km prometidos, mas em contrapartida implantou mais de 500 km de faixa exclusiva que fez aumentar consideravelmente a velocidade média dos ônibus….

    Apesar disso, não boto fé em um partido com um histórico de priorização ao carro em detrimento ao transporte publico (onibus) e o ativo (pedestre e ciclistas).

    Renato / Responder
    • Concordo com você Renato!
      Sou cético em relação à esses projetos de BRT do Dória.
      Primeiro porque ele não entende nada de sistema de ônibus,não sabe nem o que é um articulado e segundo,não dá pra implantar BRT em todos os corredores ou vias de São Paulo porque a cidade é policêntrica e precisa de várias alternativas de trajeto que não apenas uma troncal e terceiro, com cenário de crise econômica, se ele conseguir fazer um mísero corredor de ônibus, já estaremos no lucro.
      No mais, acho que ele ficará na enrolação mesmo e tudo tende a ficar como a gestão Haddad deixou.

      Danilo / (em resposta a Renato) Responder
    • Segundo o Dória, disse que ira prosseguir com os projetos de corredores com o Haddad, se ele conseguir a parceria PPP, já e alguma coisa.

  4. Basta ver o próprio site do Viatrólebus para notar a variação e variedade de modais e meios utilizados em outros países. Aqui é asfalto, asfalto, asfalto. Daqui a pouco estaremos comemorando linha nova de ônibus… Não é possível que a maior novidade da década, em termos de modal, serão as ciclovias (que são ultra-necessárias, bem entendido), numa cidade-Estado e num Estado-país, de proporções gigantescas… Nessa toada as pessoas nunca vão desistir dos carros.

    Danilo Costa Leite / Responder
  5. gigantescas de população e economia, claro.

    Danilo Costa Leite / Responder
  6. Poderia estar feliz com a notícia, mas para mim é um tanto frustrante. Tendo em vista que cidades como Genebra, com menos de 200 mil habitantes, possui uma diversidade de opções de transporte urbano público maior e mais eficiente que muitas cidades de mais de 1 milhão de habitantes no Brasil, imagino que uma perspectiva de crescimento tão significativo de um modal que utiliza pneus e asfaltos e que rodarão nas já saturadas vias das grandes cidades, consolida de vez a ideia de que os projetos propostos para sistemas de transporte público nesse país, priorizam as grandes empresas automobilísticas e grandes grupos que praticamente monopolizam o segmento.

    Gustavo / Responder
  7. E o BRT Norte-Sul de Goiânia, que já estava lento, agora parou de vez! O atual prefeito prometeu entregar a obra toda ainda na gestão dele. Depois disse que só entregaria a parte norte. Agora já deixou tudo pro próximo. Alguns lugares estão fechados e ruas interditadas sem nenhuma pessoa sequer trabalhando. Pelo jeito não veremos aqui a parte norte do BRT pronta tão cedo. A parte sul então, iiiihhhh!

    Rodrigo Branquinho / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*