Metra começa a aceitar débito e crédito na segunda (17)

Imagem de Wesley Araujo

A partir da próxima segunda-feira, 17 de outubro, passageiros do corredor Diadema-Brooklin, operado pela Metra poderão utilizar os cartões de débito, pré-pago e crédito para validar as passagens. Porem apenas clientes da Mastercard terão a funcionalidade.

Os cartões também devem ser configurados com a tecnologia de pagamento por aproximação (sem contato). Segundo a empresa Autopass, que implantou o sistema, a intenção é estender a possibilidade para os trens da CPTM e do Metrô em 2017. Foram investidos R$ 36,5 milhões na nova configuração.

A Mastercard também estabeleceu parcerias com a Empresa 1, no Rio de Janeiro, para os trens da SuperVia, e com a Metrocard, ligada aos ônibus metropolitanos de Curitiba.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

5 Comentários deste post

  1. Estamos a um passo de não precisar mais de bilheteria nas estações. Ao meu ver hoje já não deveriam ser vendidos bilhetes em papel magnético nos metrôs/trens, pois a empresa gasta com a emissão, o transporte e a destruição desses bilhetes e acreditem isso não é barato, pois os bilhetes são considerados como dinheiro e apenas as transportadoras de valores é que fazem esse serviço (que não é barato). Deviriam ser vendidos apenas cartões do bilhete único com um crédito mínimo ao passageiro para que ele reutilizasse o cartão.

    Álvaro / Responder
    • Problema é que até em países de primeiro mundo existe o bilhete ainda, alguém que não pega com frequência até conseguir o cartão pode demorar…

      Poderia adotar o que Istambul faz com os jetons, uma moeda de plastico que é reaproveitável e se ficar rasurada é fácil de reciclar e refazer. Claro que entra a falsificação…

      Andrew H B Piolli / (em resposta a Álvaro) Responder
    • Antas de implantar qualquer modernidade em SP é preciso combinar com os sindicatos. Nenhuma cidade brasileira tem sindicatos tão fortes como essa. A pressão dos sindicatos também explica porque ainda temos a cobrança manual de pedágios, um dos símbolos do nosso atraso tecnológico.

      Celso P / (em resposta a Álvaro) Responder
  2. E SP zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*