Custos e ociosidade podem travar trem Brasil-Peru

O projeto de trem Interoceânico, entre o litoral brasileiro e o peruano encontra um novo obstáculo para sua conclusão: O presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski, admitiu nesta esta semana em Pequim dúvidas pela viabilidade da construção da ferrovia, proposta pelos chineses.

“É uma ideia que foi promovida no ano passado para transportar a soja do Mato Grosso (oeste do Brasil) à China mais rapidamente, mas eu tenho algumas questões sobre este trem”, afirmou Kuczynski.

De acordo com o líder, alto custo e uma eventual viagem “batendo lata” poderiam inviabilizar o projeto. “Primeiramente, seu custo, que é altíssimo, e em segundo lugar se há carga de volta (do Peru ao Brasil), porque qualquer sistema de transporte deve ter cargas nos dois sentidos”, explicou o presidente peruano.

Outra questão envolvida seria a geografia do traçado, como as grandes alturas pelas quais deve passar a ferrovia, necessitando de inúmeros túneis, e por consequência encarecendo o projeto.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

4 Comentários deste post

  1. Poderia muito bem rolar um trem de passageiros e assim compensar os trens vazios retornando.

    Joao / Responder
    • Provavelmente haveria, mas não sei se uma viagem desta distancia gigante iria ser mais barato que os R$800,900 da aviação…
      E principalmente que via área são apenas 5 horas

      Andrew / (em resposta a Joao) Responder
      • Se bem estudado um trem de luxo ou turistico que passe por machu pichu uma ou duas vezes na semana e siga para lima, montando um roteiro de uma semana de trem + hoteis e passeios pelo Peru saindo do Brasil seria muito bom, mas ai ja vai o interesse de cada um dos politicos, e sabemos que na Am. do Sul eles não são lá muito interessados em pensar em novas soluções e comodidade para a população em relaçao a mobilidade.

        Joao / (em resposta a Andrew) Responder
  2. Pela distância, o custo parece ser alto realmente.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*