Metrô de Belo Horizonte pode ser concedido à iniciativa privada

O Sistema de Trens Urbanos de Belo Horizonte pode ser concedido a iniciativa privada. A afirmação é do Secretário Executivo do Plano de Parcerias e Investimentos da Presidência da República (PPI), Moreira Franco. Ficaria a cargo da empresa, além de ampliar a rede sobre trilhos, a duplicação do anel rodoviário e da BR-381.

“O que nós queremos é atrair novas parcerias. No governo anterior se muitas concessões, mas os players eram os mesmos de sempre, o que gerava pouca concorrência. Então queremos trazer novos parceiros para melhorar e ampliar esse cenário”, diz Franco.

O presidente da Fiemg, Olavo Machado, destacou a importância do PPI e cobrou de Moreira Franco mais atenção do governo federal com as obras em Minas.

“É preciso retomar e concluir a duplicação da BR-381. Temos recursos públicos aplicados em túneis que ligam o nada a lugar nenhum e viadutos com obras até a metade. Parecem plataformas para lançamento de foguetes”, diz Machado.

Ambos participaram de uma reunião com empresários na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

O sistema de transporte da capital mineira possuí uma linha, a Eldorado – Vialrinho, com extensão de 28,1 km, abrangendo dois municípios: Belo Horizonte e Contagem. São 19 estações e 6 terminais integrados, que atendem cerca de 210 mil passageiros/dia.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

8 Comentários deste post

  1. É até contraditório a capital mineira não ter “trem”. A demanda por mais metrô é antiga em BH, assim como em outras capitais do país.

    Samuel / Responder
  2. Isso é Metrô ou sistema de trem igual ao da CPTM?

    Jocame / Responder
    • O metrô é caracterizado principalmente pelas suas características operacionais (intervalo, capacidade dos trens, taxas de aceleração e frenagem…). Nesse sentido, é um metrô.

      Rodrigo Cunha / (em resposta a Jocame) Responder
  3. Sou Paulista e moro em BH a pouco tempo, sinto muita falta de andar no metro de SP, pois aqui eles chamam de metro o que pra mim não tem nada a ver com metro e sim trem urbano, demora cerca de 20 min para chegar uma composição em cada estação, aqui é muito precário, o governo aqui não investe em nada para melhorar, não existe integrações com os ônibus, saudade do BILHETE UNICO, onde podia pegar ônibus e metro e outro ônibus tranquilamente, sem gastar muito, então meus amigos não reclamem de São Paulo, pois tem lugar muito pior.

    Adriano / Responder
    • Tem integração com várias linhas de ônibus sim.

      Rodrigo Cunha / (em resposta a Adriano) Responder
      • Até hoje nunca vi, bom odeio este negocio que chamam de metro é horrível para quem usou o padrão de São Paulo, pode ser que os mineiros estão acostumados a andar em apenas uma linha que não leva a lugar nenhum e sempre precisa pegar onibus da mesma forma

        Adriano / (em resposta a Rodrigo Cunha) Responder
  4. Visitei BH e não vejo esse trem como metrô de forma alguma. Não fiz integrações com ônibus, mas eh muito mais CPTM que metrô sem sombra de dúvida.

    Nivaldo Fernandes / Responder
  5. Eu usei o Metro de BH algumas vezes na minha vida. Sei que ele é um trem urbano e não o metro, pois já andei no Metro de SP do estado e aquilo lá que é metro de verdade. Acho que se não houvesse tanta interferência dos empresários de ônibus, estaríamos andando de metro há muito tempo. Só lamento quando privatizado a tarifa irá aumentar muito e talvez muitos trabalhadores desse modal irão perder o emprego, pois empresário só visa lucro. Acho que a 381 é a obra mais importante para Minas Gerais, pois gera divisas para o estado e o empresario perde muito dinheiro com as 200 curvas que tem de BH até Monlevade, aquela ponte em curva em Nova União, o trevo de Caeté e por ai vai. A conhecida rodovia da morte merecia essa duplicação. BH a cada ano que passa esta difícil demais viver nessa cidade. Muito carro, transito absurdo, muito barulho e violência só aumentando, tudo muito caro para uma cidade que não oferece serviços de qualidade. Os taxistas brigam com o UBER, os Motoristas de Ônibus sem trocador, a guarda municipal sem arma de fogo. A lagoa da Pampulha um esgoto a céu aberto. O parque municipal entrega a pivetada e por ai vai.

    leonardo / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*