Em São Francisco, Uber divide espaço com app concorrente

Na cidade de São Francisco, assim como na maioria das cidades de países civilizados, o pedestre tem preferência na travessia da faixa. Bastou pisar na faixa que o carro para e deixa o pedestre atravessar. Coisas deste tipo não estamos muito acostumados no Brasil, com exceção de Brasilia. As calçadas no centro da cidade são espaçosas e com bastante movimento durante o dia. Fiz boa parte dos passeios a pé e não tive do que reclamar. Só uma coisa que me entristeceu pelas minhas caminhadas pela cidade: a enorme quantidade de mendigos, sem tetos e usuários de drogas pelas ruas. Mas isso é outra história que não tem a ver com o blog.

san-fransic1

Agora andando por São Francisco uma coisa me chamou a atenção: os carros do Uber. Na cidade americana, os veículos possuem um adesivo com a logomarca do aplicativo no vidro da frente e podem ser de qualquer tipo e cor. Imagina se os carros do Uber no Brasil começassem a andar com adesivo? Falando em Uber, o HQ da empresa também fica em São Francisco.

Carro do Uber com identificação. Foto: Caio Lobo

Carro do Uber com identificação. Foto: Caio Lobo

Além dos carros com adesivo, percebi que havia carros circulando com um bigode rosa luminoso no parabrisa de alguns carros. Pesquisei e descobri que se tratava do concorrente do Uber: a Lyft, empresa de Detroit. A Lyft começou a funcionar em meados de 2012, embora tenha sido fundada cinco anos antes.

Carro do Lyft com identificação

Carro do Lyft com identificação

A ideia era focar na realização de viagens entre duas grandes cidades, mais do que em corridas dentro delas. Hoje, a empresa atua em 65 cidades nos EUA. Em julho de 2014, o serviço chegou a Nova York, onde encontrou muita dificuldade para se instalar. Seu aplicativo para celulares funciona de forma muito semelhante ao do Uber.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

6 Comentários deste post

  1. Que legal Caio. Não vejo a hora de chegar minhas férias para conhecer essa cidade que me parece ser bem acolhedora e organizada. Minha amiga inclusive esta residindo ai.

    Rosiane / Responder
  2. Caro blogueiro, não seu se VC sabe, mas aqui no Brasil os carros da uber TB não são mais os carros de luxo! Até tem alguns , mas a imensa maioria é de carros populares de qualquer cor!
    A realidade é q o chamado uber black não atingiu o grande público como a empresa imaginava.
    Então lançaram o uber X, q tem carros a partir de 2008 de qualquer e modelo. Esses dias cheguei a pegar um fiat uno vermelho 2008 que mais parecia um batedeira!
    Infelizmente o tal padrão uber não passa de marketing aqui no Brasil.
    Boa parte dos clientes do uber black, migraram para o uber X, obviamente pelo preço convidativo! E os motoristas do black agora pra sobreviver tem que aceitar as corridas do X, pois é, as vezes VC pede um uber X e chega um carrão com motoristas insatisfeitos!

    leo / Responder
    • Não existe carro no black que anda no X. o que acontece é que antes a Uber tinha uma lista de carros pro X porém agora liberaram tudo e ai tem uma diferença grande dos carros que iniciaram para os de agora… infelizmente o padrão caiu e vai cair mais daqui 1 ano qdo os motoristas deveram fazer a manutenção dos carros

      Fabio / (em resposta a leo) Responder
  3. A faixa de pedestre colorida, adorei :)

    matheus / Responder
  4. A questão de priorizar o pedestre chama-se respeito, algo que no Brasil não existe entre pedestre, carro e outros veículos, bacana a matéria.

    Rodrigo Santos / Responder
  5. Gostaria de informar que uma das cidades melhores que Brasília para respeitar os pedestres é a cidade de São Bento do Sul, em Santa Catarina, vá lá e confira.

    Hamilton / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*