São Francisco – A capital americana das bikes

Estive em São Francisco de férias e, por onde você olha elas estão presentes. Há ciclofaixas espalhadas por toda a cidade. Os ônibus e os trólebus possuem compartimento para magrelas na frente do veículo. E a cidade não é plana!

As ciclovias da cidade são diferentes das que estamos acostumadas a ver, por exemplo, em São Paulo. Elas não ficam na faixa ao lado da calçada. As vagas de estacionamento continuam intactas e ao lado, entre a vaga e a rua, estão as vias para as bicicletas. Na minha opinião isso exige mais atenção tanto do ciclista como dos motoristas. Um motorista distraído que estacionou o carro pode acertar o ciclista quando abrir a porta do carro.

ciclovia-sao-francisco-caio-lobo4

Ciclovia instalada ao lado de vagas de estacionamento – Foto: Caio Lobo

Andando pela Market Street, uma das principais ruas de São Francisco, encontrei um totem similar aos que existem em São Paulo, que marca a contagem das bikes que passam por ali. A cidade conta também com uma rede de pontos de empréstimos de bicicletas.

Contador de ciclistas

Contador de ciclistas e ao fundo, estação de bikes compartilhadas – Foto: Caio Lobo

Um passeio legal de se fazer de bike é atravessar a ponte Golden Gate e, depois, continuar pedalando até Sausalito, um vilarejo muito bonito. Muitos ciclistas fazem esse percurso, de aproximadamente 7 quilômetros. A ponte tem um lado exclusivo para os que pedalam e outro para pedestres. Caso esteja cansado para voltar pedalando, em Sausalito há balsas que levam de volta a São Francisco.

ciclovia-sao-francisco


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

13 Comentários deste post

  1. Cidade linda.

    matheus / Responder
  2. Descobrimos porque não te tanto mi mi mi lá, é por que não acabaram as vagas de estacionamentos das ruas, se fosse aqui falariam que estavam priorizando os carros, brincadeiras a parte, apesar de ser mais perigosas, foi uma boa solução encontrada, mas que tbm só funciona em ruas largas.

    mauri / Responder
    • Testaram um misto disto lá em Moema … resultado … tomei uma portada … E eu vinha muito devagar … por sorte nao deu em nada … apos alguns meses retiraram o estacionamento ao lado da ciclovia …

      Alexandre I / (em resposta a mauri) Responder
      • É por isso que temos que ter cuidado ao defender idéias de outros países, pois infelizmente aqui pode ser que não funcionaria como os Vlts europeus que circulam nas ruas, aqui seria um perigo, ou como no Rio, andar 15kh, e na praça maua a 5kh.

        mauri / (em resposta a Alexandre I) Responder
        • Tudo pode se pegar de ideia de outros países …. Mas ideia … Tem que ter adaptação e verificar se vai dar certo…

          alexandre i / (em resposta a mauri) Responder
      • Essa de moema foi a ciclofaixa feita pelo Kassab.

        Renato / (em resposta a Alexandre I) Responder
        • Sim foi feito na gestão dele … Mas foi em caráter experimental mesmo… A ideia não foi tão ruim … Mas necessitaria de uma área maior para abertura de porta …

          alexandre i / (em resposta a Renato) Responder
  3. Na YOU TUBE tem um Video de mais de uma hora sobre a cidade, dá para tirar boa conclusões. Entrar no Google “San Francisco City Tur-California USA” You Tube.

    Jardel Tales / Responder
  4. Agora vai fazer algo parecido em SP,vão cair matando falando que e porque e de partido A ou B absurdo,parabéns as fotos.

    Rodrigo Santos / Responder
  5. Esse artigo é um tapa na cara dos carrocratas que usam como desculpa, o fato de SP não ser plana. São Francisco está ai para mostrar o contrário….

    Renato / Responder
  6. Em Foz tao fazendo ciclovias assim, no meio das avenidas.

    matheus / Responder
  7. É o mais natural, não só em São Paulo,como no resto do Brasil, que as ciclovias se multipliquem exponencialmente.
    estão previstas desde sempre no CTB (Código de Transito Brasileiro). O problema é que por anos se favoreceu o uso do automóvel como solução de transporte e mobilidade (não vou entrar em méritos políticos). Mas é um fato.
    Tal favorecimento também foi o responsável pelo extermínio dos bondes de nossas cidades retirando por gerações o habito e a educação de transito sobre a convivência de veículos ferroviários nas ruas, enquanto, por exemplo, na Europa, é a apenas uma evolução de um sistema já existente.
    Por isso a idéia dos VLTs nas ruas de nossas cidades criam tanta aversão, enquanto no resto do mundo é natural.
    Enquanto não se mudar a forma de pensar qualquer iniciativa de mobilidade trará numerosas e incríveis reclamações inúteis.

    Luis Fernando / Responder
  8. muito legal o post..!!

    Eduardo Kawasaki / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*